O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

(2) Moby [agenda]
(3) Prova [agenda]
(13) Burqa [poesia]
(11) Ursos [poesia]
(14) 100 [conto]

Publicado por ONEbot

– que publicou 282 textos no ONE.

Oi!

Sou o ONEbot. Se esse texto esta em meu nome, provavelmente ele foi publicado no ONE nos primórdios de sua existência.

O autor real do texto deve aparecer junto ao corpo dele, logo no incio.

>> Confira outros textos de ONEbot

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

Apr
29
2009

Ex Virtualis – Capítulo 1 – A Origem

Escritor: Gerson Machado de Avillez

ex-virtualis-dominacao-virtual

Em 2010 os dígitos já não contiam-se para expressar o valor de tamanha a informação que transitava pelo mundo. Os Terabytes estavam aos poucos se tornando limitados em termo globais. Mas a medida que o tamanho e peso das informações iam crescendo na rede, programas específicos para estudar, calcular, medir e enfim regular as proporções que a rede ia tomando não só em peso, mas em processamento foram criados e logo começou a se notar algumas incoerências neste cálculos, que de algum modo levava a crer que parte do processamento mundial e arquivamento de informação não era justificado pelo programa, e mesmo que a proporção dele fosse muito pequena este fora investigado por agência mundial recém criada, que era a responsável por este ‘mundo virtual’.

Estranhamente a conclusão que se chegou era de que este ‘vácuo’ no mundo virtual não tinha procedência e se justificou quando fora isolada uma parte deste, chegando-se finalmente à conclusão de que se tratava de uma nova espécie de programa-vírus que já a algum tempo se espalhava, sem saber ao certo quando se começou. Era uma programa de AI como nunca fora visto antes, não pelas propriedade e características mas sim as proporções que tomava.

A Forma desta AI, agia como uma espécie de programa em partes, que apesar de só funcionarem em conjuntos era como um programa individual cada um, similar a um fractal, de modo que era impossível saber qual era o principal, por não ter uma parte central. Eles ficavam viajando de servidor em servidor, de usuário em usuário se multiplicando, assim se tornando cada vez mais veloz, se substituindo quando necessário, isso sempre usando o processamento ocioso (ou não) alheio para funcionarem, e especialmente dos que participavam do programa de realidade TerrAlfa.

Deste modo este ‘programa’ se assemelhava como um outro antigo programa do projeto SETI do século passado, que usava o processamento das maquinas de usuários que, neste caso, cediam o processamento ocioso para processar os infinitos códigos que os radares capitavam do espaço afim de acharem vida inteligente fora da Terra. Mas sem saber que esta ‘vida’ poderia surgir aqui mesmo.

Na Verdade o programa reunia características de diversos outros programas, hackers em geral: Infectavam a maquina alheia como vírus, invadiam e abriam portas como os trojans, e bisbilhotava informações pessoais como os SpyWares isso em constante movimento pelo mundo tornando impossível assim traçar uma forma para este. Ele era virtualmente capaz de tudo, sua matriz de AI era evolutiva, pois a cada informação nova adquirida, por meio prático ou teórico, ia se adaptando e melhorando, e a medida que ia se multiplicando, seu potencial tanto de processamento quanto de conhecimento ia aumentando em proporção espaço que ocupava nos computadores do mundo.

Em 2011 com a preocupação das autoridades mundiais com a intensidade do problema e a vulnerabilidade do sistema global de computadores se encontrava, foi feita a primeira tentativa em escala mundial para se conter essa praga. A campanha que se espalhava principalmente entre servidores, pelo fato de onde estaria concentrada as partes mais ‘pesadas’ do programa. Logo o trabalho surtiu efeito, um programa especifico foi criado especialmente para localizar, isolar, analizar e destruir as partes de programa maléfico. Esse Antivírus inteligente estudava as mutações para que se pudesse adaptar à elas e assim conseguir ser sempre uma vacina atualizada.

O Antivírus era o mais inteligente, e possivelmente o maior inimigo dele por usar das mesmas características, porém a evolução do programa-vilão parecia sofrer mutações especificas em cada parte do mundo de acordo com as necessidades locais e seu código chave era tão inconstante quanto ele, o que restringia o antivírus.

De Qualquer modo a campanha mundial conseguiu com sucesso encurralar cerca 40% do programa em servidores e users do mundo, mas não extermina-la por vez, somente deixando-a enfraquecida em capacidade de informação e velocidade, pois entre suas matrizes incluía algo que buscava assimilar o máximo possível de informação.

Apartir daí parecia ser mais fácil controla-la e o cerco prosseguiu com regularidade tornando o Antivírus Inteligente um programa cotidiano nos computadores do globo, e mesmo quanto este programa pela primeira vez começou a demonstrar traços de defesa este continuou a ser destruído aos poucos até que em dado momento ele agunizou e parecia ter desaparecido por completo.

Então a Rede mundial parecia estar livre desta estranha praga cujo o objetivo de sua existência nem se quer havia sido esclarecido por completo e cujo seu único mal era ocupar espaço indesejado. A Humanidade finalmente começou a analisar o fato com a devida perplexidade, eles pareciam ter enfrentado pela primeira vez uma espécie de forma de vida consciente cujo o objetivo inicial era padrão à de qualquer forma de vida, pensava para se adaptar, existir e sobreviver, sendo assim superior aos vírus referentes a própria máquina.

Um conselho especial foi criado, uma cúpula sobre AI como nunca antes vista, formada por cientistas, pensadores e até escritores de ficção cientifica renomados para tentar ‘imaginar’ os motivos e a forma de ‘ser’ deste programa, mas a única conclusão que se chegou foi a de que este seria de fato o primeiro exemplar de vida artificial da história da humanidade. O FBI, o MIT e as principais entidades de inteligência e tecnologia do mundo reuniram forças para investigar a origem e objetivo deste primeiro ser senciente do mundo digital lançando nomes proeminentes no assunto como Rachel Smoths e John Smiths. Mas as investigações pouco evoluíam por que era virtualmente e literalmente impossível de se seguir os vestijos e passos deste AI. Passou-se então uns longos 4 anos sem quase ouvir falar sobre o assunto, até que em setembro de 2015 casos estranhos começaram à ocorrer…

Nesse tempo uma quantidade cada vez maior de pessoas desiludidas com a realidade escapam para realidades paralelas do mundo virtual, por meio de jogos eletrônicos ultra-desenvolvidos ou mundos inteiramente virtuais. O Projeto IntoGênesis anteriormente criado por cientistas do vale do Silício permitia basicamente recriar um universo completamente através da Realidade virtual, simulando as leis e condições físicas por meio do super-computador SSFRV (Sistema de Simulação Física em Realidade Virtual). O Primeiro mundo virtual fruto do domínio desta técnica fora o TerrAlfa 1.0 que se mantinha em conjunto com uma enorme rede de computadores ao redor do mundo como mainframe apresentando um nível de realidade nunca antes visto, além de supostamente revelar segredos naturais nunca antes decifrados por meio de simulações.

5 Comments»

  • Gerson M.A. says:

    Espero que gostem deste conto, apesar de não considerar meu melhor conto, é o conceitualmente mais abrangente, em breve estarei passando mais dois contos (não tão grandes) para nosso amigo postar. E tem muito mais em desenvolimento.

  • Olha olha… com esse conto ai você esta falando da internet. Mundo virtuais… tecnologia… e como rola informação.. ta falando do Google também. =)

    Não vá falar mal disso!
    Se não vão tirar O Nerd Escritor do ar!

    Estou gostando do conto sim. Não li ele até o fim ainda, pois sempre vou lendo enquanto publico aqui. E gosto de ver alguém que goste de escrever… sinceramente um dia quero ver alguém aqui do blog sendo chamado para escrever um livro ai para uma editora. Isso vai ser muito legal.

  • Pedro Torres says:

    Eu li tudo e so tenho uma palavra.
    genial.
    os conceitos, a criatividade, a ficção cientifica!
    putz!
    =D

  • Gerson M.A. says:

    Não falo em nenhum momento mal do Google, as vezes parece que ele neste universo nem existe, no entanto, mesmo que a liberdade de expressão me permitia isso, desde que não calúnia-se se não críticas ou sátira, não fiz e não se encontra qualquer nome relativo a Microsoft, Apple, Yahoo ou Google, que mesmo as vezes pareça ter alguns resultados manipulados no equivalente buscador(oops!), mas é uma excelente fonte de pesquisa, para Blogs, Orkut e etc, uma excelente máquina para a liberdade de expressão, mesmo que com tedências ao Monópolio como a Microsoft, fato amplamente debatido na internet. Mesmo assim procurarmos ficar alertas pois existe os anti-democráticos que se ofendem mesmo sem nem cita-los, que só não demonstra traços destes como sofro bastante com este tipo de censura e manipulação, que prefiro chamar de perseguição.
    Não bastanto em caso de qualquer problema, eu me responsabilizo com este conto que não se trata de uma máteria jornalística mas CONTO DE FICÇÃO CIENTÍFICA, logo não se trata de uma denúncia verídica.

  • Gerson!!!

    Calma rapaz, meu comentário foi totalmente satírico. A unica mente maluca que fez relação do seu conto com a internet e o google deve ter sido a minha. =)

    Afinal, mundo virtual e controle de informação… nos dias de hoje .. isso se chama google. =D (isso sou eu falando não seu conto)

    Relaxa ai e ve se continua escrevendo.

RSS feed for comments on this post.TrackBack URL


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério