O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

(2) Moby [agenda]
(3) Prova [agenda]
(13) Burqa [poesia]
(11) Ursos [poesia]
(14) 100 [conto]

Publicado por ONEbot

– que publicou 282 textos no ONE.

Oi!

Sou o ONEbot. Se esse texto esta em meu nome, provavelmente ele foi publicado no ONE nos primórdios de sua existência.

O autor real do texto deve aparecer junto ao corpo dele, logo no incio.

>> Confira outros textos de ONEbot

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

Jun
30
2009

Religiosos

Escritor: Jones Viana Gonçalves

religiosos

Dizem que o D.E.I.S. foi criado para combater o sobrenatural, mas o certo é que primeiro os agentes do D.E.I.S. investigam o que está acontecendo para depois agir de maneira cabível.

XXX

Começava a anoitecer naquele dia 12 de setembro, o pastor da igreja adventista encerrava seu sermão e os fiéis já se retiravam. Lucas havia assumido a igreja adventista do Parque dos Anjos, o templo ainda passava por reformas já há algum tempo e estava longe de terminar.

O pastor ainda conversou com alguns de seus fieis por algum tempo enquanto organizava suas coisas para ir embora. Mantinha uma dedicação implacável para com os seus e ouvia a todos do mais humilde ao mais rico. Já passavam das 09:00 horas quando enfim conseguiu sair do templo, a noite lá fora corria fria como uma noite de inverno costuma ser no Rio Grande do Sul, ele ajeitou as chaves para abrir o carro quando alguém se aproximou. Mais cedo Lucas havia visto aquele rosto entre os irmãos no meio do culto, mas não lembrava de outra ocasião que o tivesse visto.

– Pastor preciso falar-lhe. – Disse o homem.

– Sim irmão, o que deseja? – Respondeu Lucas olhando nos olhos do sujeito.

– Ainda tenho dúvidas quanto a minha fé irmão e preciso provar que estou no caminho certo. – Um meio sorriso se fez no rosto daquele homem e Lucas então entendeu do que se tratava.

– Por favor irmão reconsidere. – Disse ele tentando não chorar.

– Você agiu mal conosco Irmão e deve pagar ao nosso senhor pelos seus crimes.

Dois outros homens surgiram vindo da direção da fruteira enquanto Lucas caía de joelhos.

XXX

Francisco estava chegando ao escritório, teria de redigir o relatório da missão em Caxias quando Marco veio até ele.

– Francis preciso de você no Parque dos Anjos.

– Acabei de chegar chefe, que tal deixar isso pro Fábio ou então pro Matheus.

– Não chora Francis. Sempre que tenho um trabalho pra você é essa lenga-lenga, vamos te arruma e vai pro Parque, dá uma olhada por lá e depois me diz se vai precisar de ajuda.

– Ta certo, lá vou eu me ferrar de novo.

– Não fala assim Francis, vai lá que a coisa parece ser fácil.

Francisco olhou para o chefe com um ar de frustração, mas logo mudou a cara e foi para o estacionamento. Pode-se dizer que ele era o único investigador do departamento que poderia fazer aquele tipo de coisa, conhecia o chefe há muito tempo e também fora um daqueles que começaram o Departamento junto com Daniel no apoio e outros dois finados amigos de tempos atrás.

Não demorou muito para que o detetive chegasse ao Parque dos Anjos, seu destino era o nº 419 da Av. Aristides D’Avila, uma casa que estava para ser alugada já há alguns meses. Os vizinhos reclamaram que ouviram gritaria durante a noite e quando amanheceu um menino que ia para a escola notou uma enorme possa de sangue na soleira da porta da frente da casa. O D.E.I.S. fora chamado após a casa ser aberta e a revelação de diversos corpos com símbolos arcanos inscritos em sua pele por algo cortante dar um tom de sobrenatural ao caso.

Francisco desceu do carro e identificou-se para os guardas a frente da casa, ninguém que não fosse da policia poderia passar pelo portão de isolamento. Na porta da casa estava o tenente que cuidava do caso, o homem estava espantado com tudo aquilo.

– Você é do D.E.I.S. ? – Perguntou ele.

– Sim, e você é?

– Oh sim, desculpe-me, eu sou o tenente Olavo.

– Certo tenente então diga-me o que houve aqui?

– Não sei, os corpos estão todos marcados, todos são religiosos de alguma importância e todos foram mortos na noite anterior. Está tudo arrumado de jeito que parece uma espécie de ritual.

– Nada sobrenatural até agora tenente.

– Como assim nada de sobrenatural?

– Apenas mais um assassinato em massa, vamos lá conte-me algo que não se enquadre e que o fez nos chamar.

– Não há mais nada detetive.

– Muito bem vamos ver o local do crime.

Francisco entrou seguido do tenente, a porta da frente dava para um hall de recepção, este estava completamente lambuzado de sangue tanto no chão quanto nas paredes. Os corpos estavam na sala mais além, dez ao todo era o número de vítimas naquele cômodo, todas crivadas de símbolos cortados em sua pele. Francisco chegou mais perto e observou alguns deles mais detalhadamente. Procurou qualquer coisa no cenário à volta e depois voltou para os corpos. O tenente sempre ao seu lado nada falava enquanto o inspetor continuava com suas pesquisas, até que Francisco voltou a falar.

– Você estava certo tenente. – nada mais disse, apenas virou e saiu indo na direção do carro.

O tenente com cara de tolo nada falou apenas deu espaço para que Francisco passasse. O investigador voltou ao carro para ter sossego ao falar com seu superior, calmamente discou o número do celular e aguardou.

– Fala Francis o que descobriu?

– A coisa é feia Marcos.

– Como assim?

– É um diabo.

– O que? Um diabo?

– Isso mesmo, eu vi os sinais, as marcas o ritual de invocação com as dez vítimas religiosas, tudo como manda o figurino.

– Droga tu sabe isso significa não é?

– Com as coisas que vem acontecendo? Mais e mais casos surgindo do nada! Sim eu sei o que isso significa.

– Tem como fazer alguma coisa a respeito deste diabo?

– Não há o que fazer, eles já o invocaram. Agora é esperar ele se mexer.

– Ta certo, volta pro departamento então, deixa que eu mando o pessoal limpar a bagunça.

– Certo.

Francisco desligou o telefone e voltou para o departamento.


Categorias: Contos,D.E.I.S. | Tags: ,

20 Comments»

  • Muito legal, eles são como os Homens de Preto, só que não são uma agencia tao secreta assim.

    Organizei a parte de Downloads, uma lista dos contos do D.E.I.S. .

  • Vitor Vitali says:

    Fiquei meio perdido quando ao D.E.I.S., pois não li os contos anteriores, mas o texto é bem polido e simples de ler, bem legal. 🙂

  • Na verdade, este eh para ser o primeiro, os outros completam a narrativa e vai criando melhor o grupo.

    Bom… mas isso o Jones pode explicar. =)

  • JonesVG says:

    Opa e ai galera desculpa estar sumido estes dias, meu anjinho mais novo esteve meio mal, mas agora tudo esta bem e retorno para ler o que ainda não li.

    Vamos aos fatos então, logo que fiz meu primeiro PDF, um conto beeeeem grande de tormenta chamado loucura vermelha e tambem comecei a escrever para a união do vapor fiquei emocinado com estas coisas de E-zine e tal e inspirado em supernatural criei este grupo que no inicio seriam contos de uma e-zine só de contos que sairia mensalmente e seriam apenas contos do D.E.I.S. mas escritos por vários altores e cada um retratando o departamento e suas ações em sua região. Bom lancei este desafio no forum da Jambo e não preciso falar que ninguem respondeu ao desafio de tocar o porjeto, mesmo depois de eu apresentar os dois primeiros contos, fazer o que, então desisti de publicar uma e-zine assim e fui escrevendo a saga deste grupo aqui no sul, mais especificamente em minha cidade natal.

    O grupo vai sendo apresentado a cada conto e nos primeiros nenhum personagem se repete a frente das investigações só a partir da sexta história que os fatos relacionados a este primeiro conto se desenrolam para valer.

  • JonesVG says:

    Porra relendo o que escrevi vi um autores com “L” que merda hauhauhauhauhauhauhauhauhau

  • Caramba.. muito boa a idéia do D.E.I.S. … quem sabe o projeto pode ser levado a diante… hummm.

    Mas… cuida do seu filho ai. Nessas épocas de gripes estranhas, qualquer doença preocupa.

    Sobre o pdf loucura vermelha… vai ser o próximo a entra ali na área de criticas e resenhas. Te mando um e-mail qualquer hora para falar-mos sobre isso.

  • JonesVG says:

    Certo, o Bruno ta bem agora, ele não teve febre e foi isso que me deixou mais tranquilo. Sobre a ideia do projeto se algum nerd escritor estiver a fim é só arremangar as mangas e começar a trabalhar, só aviso que o RS já tem pelo menos 10 aventuras prontas deste grupo aqui he he he he.

  • Felipe Ferraz says:

    Opa, eu me prontifico, só me passa as informações sobre esse DEIS que eu nunca ouvi falar…

    abs

  • JonesVG says:

    Huahuahuahauhauhauahua é só ler os contos

  • Felipe Ferraz says:

    agora que eu li os comentários anteriores… vc que criou o DEIS… bom vou fazer um conto a respeito, e vc me diz se está dentro do que vc havia imaginado. como eu sou de São Paulo, seriam histórias com os casos referentes a esta sede.

  • JonesVG says:

    Isso ai, faz e manda pra mim no gmail que esta ali na pagina de escritores. Legal mesmo, vamos ver com o Guns e postar por aqui os contos, nada de E-zine, isso dá muito trabalho he he he he

  • Opa, podemos criar uma campanha aqui para esses contos. Dar um destaque e fazer uma divulgação. Gostei da idéia de escrever sobre a organização em locais diferentes =)

  • Ei, e a União do Vapor esta fora do ar?

  • JonesVG says:

    Opa, não sei, não fui lá esta semana ainda, vou ver se acho o capitão e falar com ele.

  • Eric Novello says:

    Fiquei curioso com o universo que vc criou. Vou dar uma geral nos antigos. Abss! Eric.

  • Olha o Eric por aqui. =)
    – Volte sempre!! =D

  • Jones says:

    Caraca, só agora vi o comentário do Eric. E ai o que achou dos outros textos?? Fiquei empolgadão aqui agora.

  • ErykCruz says:

    D.E.I.S. é a abreviação de que?

  • Jones says:

    Opa, desculpa a demora EryKCruz, os contos antigos ficam vagando por ai, mas D.E.I.S. é abreviação de Departamento Especial de Investigação Sobrenatural. Esta no conto ai em cima he he he he he abraços carinha.

  • uliany says:

    nossa que cada contos grande pelo tipo naum vou achar nem um pequeno

RSS feed for comments on this post.TrackBack URL


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério