O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

(15) Orcs [poesia]

Publicado por The Gunslinger

– que publicou 1572 textos no ONE.

Ocupação: Analista de Sistemas de Colaboração, Escritor, Blogueiro.

Grupo a que é filiado: O Nerd Escritor, Blog do Gunslinger.

Base de operações: Corupá, SC – Brasil.

Interesses: Literatura, Cervejeiro, Internet, Teoria Computacional da Mente, Tiro com Arco e Futebol Americano.

Autor(es) Influênte(s): Stephen King, Bernard Cornwell, J.R.R. Tolkien, Neil Gaiman, Patrick Rothfuss, Paulo Coelho.

Livros que recomendo: A Torre Negra (Stephen King), Crônicas Saxônicas (Bernad Cornwell), Crônica do Matador do Rei (Patrick Rothfuss), O Silmarillion (J.R.R. Tolkien), Lugar Nenhum (Neil Gaiman), O Diário de um Mago (Paulo Coelho).

>> Confira outros textos de The Gunslinger

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

Sep
22
2009

O Golpe

Escritor: Felipe Ferraz

o-golpe

Sábado à noite. Coquetel na casa do candidato a senador Hugo Cardoso, sobrenome este que, para melhor apelo eleitoral, seus marqueteiros sugeriram trocar por Travesso, apelido de infância. Cada denúncia, cada projeto de lei, cada aparição pública era chamada pela imprensa de travessura. Foi criado o slogan “a cada travessura, uma vida melhor ao brasileiro”. No mínimo, ridículo, mas considerando que ao público-alvo eram os jovens e também os senhores nostálgicos, foi posto em prática.

Entre as dezenas de convidados, estava Mônica, amante de Hugo. Conheceram-se em outro coquetel, na casa de outro candidato. A figura jovial, seus cabelos longos e negros, seu jeito simples conquistaram o coração do candidato, que a presenteou com um carro em comemoração a um mês de relacionamento. Relação discreta: evitam encontrar-se em finais de semana, freqüentam lugares de pouco movimento ( com luxo inversamente proporcional) nos distritos ao redor de sua cidade. A esposa de Hugo desconfia, com certeza, mas prefere não perder a sua pequena mesada, os cartões de crédito, e mesmo as idas freqüentes à clínica estética, que volta e meia terminam em lugares pouco familiares acompanhada com o segurança da tal clínica.

Ao pé do piano, junto com Mônica, estavam duas amigas do peito. Literalmente, pois com inveja do busto da morena, colocaram silicone. De longa data, formaram-se recentemente em economia, o que mostra no mínimo, uma certa afinidade com finanças. Sara, loira discreta, cinco tatuagens escondidas pelo corpo (virilha inclusive), é a que mais entende do assunto: seu atual namorado, sócio de Hugo, troca de carros como troca de cuecas e possui um iate; apesar disso, afirma ser simples e implica com o nariz empinado de Sara; ah, se soubesse que esse narizinho veio como brinde após a compra dos seios.

Vânia, também loira, também siliconada, acompanhou o início do relacionamento de Mônica e Hugo. Recentemente, quis também ser amante do candidato, abordando-o na saída de um banheiro. Tirou a blusa, o sutiã, e forçou um beijo; aproveitaram o momento por singelos dez minutos, até serem flagrados pela amante traída. Mônica e Vânia trocaram tapas de juras de inimizades. A morena terminou com Hugo, mas voltou no final de semana seguinte após receber vários buquês de flores e caixas de bombons, além de duas passagens para Angra dos Reis.

Em determinado momento do coquetel, estavam Mônica e Vânia no banheiro. Não demorou para o assunto do beijo voltar à pauta, e os tapas voltarem a ser desferidos. Em seguida, Sara, totalmente embriagada, entrou no banheiro e participou da muvuca. Os seguranças apartaram a briga, mas o álcool fez da gritaria um escândalo. Mônica gritava o tempo todo que amava Hugo, sem se importar com a presença de sua esposa. Vânia jurava ódio à Mônica. Sara ria de qualquer movimento.
O barulho chamou a atenção de um vizinho, que fotografou cenas do escândalo, e vendeu as fotos com a história da amante para um jornal. Na segunda feira seguinte, o país inteiro sabia da vida íntima de Hugo Travesso, que foi obrigado a retirar a candidatura. As três protagonistas ganharam fama; foram até convidadas a posarem nuas. Mônica recusou, mas as outras duas não, saindo na capa de uma revista, juntas, mostrando toda a intimidade de duas colegas que tinham muito em comum. Na capa da revista, lia-se: “a melhor travessura de Hugo”.


Categorias: Contos | Tags: , ,

12 Comments»

RSS feed for comments on this post.TrackBack URL


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério