O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

(15) Orcs [poesia]

Publicado por The Gunslinger

– que publicou 1572 textos no ONE.

Ocupação: Analista de Sistemas de Colaboração, Escritor, Blogueiro.

Grupo a que é filiado: O Nerd Escritor, Blog do Gunslinger.

Base de operações: Corupá, SC – Brasil.

Interesses: Literatura, Cervejeiro, Internet, Teoria Computacional da Mente, Tiro com Arco e Futebol Americano.

Autor(es) Influênte(s): Stephen King, Bernard Cornwell, J.R.R. Tolkien, Neil Gaiman, Patrick Rothfuss, Paulo Coelho.

Livros que recomendo: A Torre Negra (Stephen King), Crônicas Saxônicas (Bernad Cornwell), Crônica do Matador do Rei (Patrick Rothfuss), O Silmarillion (J.R.R. Tolkien), Lugar Nenhum (Neil Gaiman), O Diário de um Mago (Paulo Coelho).

>> Confira outros textos de The Gunslinger

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

Oct
02
2009

A Confissão – Terceiro Dia

Escritor: Pedro Torres

confissao

14 horas da tarde

Eu chego na Igreja, mas encontro o confessionário vazio, “merda” , pensei, me sento numa cadeira e fico observando a imagem de cristo, uma escultura enorme, então uma voz fala atrás de mim:

-rezando? – era uma voz masculina, desconhecida
-não, esperando…
-O padre está numa reunião com o Bispo.
-quem é você? – falo
-você convidou minha filha para sair?
-o que? – me viro
-é, você convidou Ìsis para sair?
-quem é você?
-o pai dela, o que quer com minha filha?
-eu? O que você acha?
-você que fazer algo muito ruim com ela não é seu safado?ela é qual? A terceira? Quarta garota?
-sr, eu nunca namorei na vida.
-e quanto à você ser ateu, ela me falou isso também.
-sim, não posso dizer que não, mas isso interessa?
-sim, somo uma família muito tradicional, e ela vais e tornar freira, como quer a mãe e eu.
-senhor, eu compreendo, mas você não pode forçar o destino de sua filha.
-eu posso e vou!
-calma, você está nervoso porque eu sou ateu.
-se você fosse um garoto direito eu ate pensava, mas ateu?você me enoja! Você é um herege!
-você pode pensar muita coisa sobre mim, o que não quer dizer que sejam verdades. – viro a cara
-tome cuidado mocinho, eu sou um deputado muito poderoso!
– oh, estou amedrontado, vai fazer o que?me subornar para me deixar longe de sua filha? Me ameaçar com seus capangas? Vamos continue! Está engraçado. – falo me virando
– cuidado…
– o que deus pensaria de você? Já pensou nisso, atormentando um pobre garoto por que não quer que sua filha namore? Imagine o que ele diria! Forçando sua filha a viver uma vida infeliz.
– Ela não será mais feliz ao seu lado.
– já perguntou à ela?
– Seu infeliz…GUARDAS! – de repente homens sentados nas redondezas se levantam me pegam e me levam para fora me jogando da igreja.
– Covardes heim?o que “deus” iria dizer?

Eles me espancam, levo tanta porrada que depois de um tempo nem sinto mais a dor, sou deixado semi-inconsciente, provavelmente seria morto se não fosse Ìsis que aparece gritando:

– PAREM!
– mas senhora, foi o seu pai quem mandou.
– não importa!
– Sim senhora.- eles falam se afastando de mim e me deixando ensangüentado no patio da Igreja, então ele chega junto e fala
– me desculpe…- fala ela chorando encima de mim
– não tem problema…eu…- antes de terminar a frase desacordo.

17 horas da Tarde

Acordo com uma baita dor de cabeça.

– Ahhhhh… céus, eles fizeram mesmo.
– Não se levante. – fala uma voz feminina, não era de Ìsis, e sim da minha Mãe.
– Mãe?
– O que aconteceu filho?
– Não sei direito, discuti com o pai de uma garota que eu gosto, então ele chamou os guardas, fui espancado e tal, depois apaguei.
– Nossa, mas porque ele chamou os guardas?
– Ele falou que era um deputado muito poderoso, não sei direito.
– Porque você foi se meter com ele?
– Ele me insultou.
– Ah, meu filho, sempre orgulhoso…
-é, Mãe, poderia sair um minuto, quero ficar sozinho um tempo.
– Certo filho. – ela me da um beijo na testa e sai

Eu fico pensando no que aconteceu, ficar com ela é perigoso, mesmo que escondido, tenho de pensar numa forma de ficar com ela, então me lembro que ele era muito arrogante e presunçoso, imagine o que deve fazer na camara de deputados, eu vou investigar isso melhor, então começo a formular um plano.

10 minutos depois a porta se abre, era Ìsis:

-Olá, seu pai não tá de brincadeira heim? Se eu…- antes de completar a frase ela estala um beijo em mim, caralho, aquilo foi muito bom, ela me abraçou então:
-ai…- falei amaldiçoando a mim mesmo
-o que foi?- ela para
-ainda estou meio dolorido, desculpe, queria conversar com você.
-sobre meu pai?
-sim, ele se mostrou muito violento comigo, o que está acontecendo? quase morri, não sei se é uma boa ficarmos juntos.
-não! Eu te amo! – ela fala com uma lágrima descendo de sua pele macia
-eu também, mas se seu pai souber…acho que nem você me salva. Ah não chore – falo enxugando a lágrima da pele dela.

Ela me beija de novo e fala:

-tem de haver uma forma!
-acho que tem, mas isso envolveria um bocado de problema para seu pai, com a justiça.
-mas se ele for preso não tenho com quem ficar, e ele é meu pai!
-bem, você poderia morar na minha casa, até ele aprender a lição, nesse meio termo você se tornará uma mulher de maior e poderemos nos casar.
-bem, eu…
-é isso ou esquecer um ao outro.
-não posso ajudar a prender meu pai, preciso pensar… – ela sai chorando e correndo
-não! Voltei aqui!´por favor… – me levanto todo dolorido e vou atrás dela mas um alarme toca e uma enfermeira me coloca de volta a cama.
-não deve te levantar garoto, você está seriamente machucado, chagou mas visitas inclusive, um policial.
-chame-o para dentro por favor. – falo enxugando as lagrimas

O policial entra e fala:

-soubemos que foi espancado pela milicia do deputado Viriato.
-sim.
-pode nos dar mais detalhes?

Então contei tudo para ele, então ele disse:

-olhe garoto, eu não sou da PM,sou da Policia Federal, estamos investigando outros casos parecidos com o seu, alem de acusações de corrupção.
-bem, eu meio que namoro a filha dele.
-é?
-sim.
-acho que isso vais ser interessante.
-falta convencer ela à aceitar a prender o pai
-hummm,se você conseguir, entre em contato neste telefone.- ele me dá o cartão
-certo, sr…Fábio.
-até mais sr.Pedro.

Novamente sozinho, eu penso em como convence-la, de repente aparece o padred Yeltsin:

-Olá, como vai meu ateu preferido?
-sem ironias padre, você poderia ter me dito.
-o que?
-que o pai dela era um merda de um deputado!
-calma,eu também não sabia
-como não, ela é filha de uma deputado!
-eu não sabia, ela nunca me falou.
-saco, bem será que podemos continuar nossa discussão?
-claro, qual ponto você quer falar hoje?
-o que é “deus” para você?exatamente…
-”deus” é um ser iluminado, a força motriz por trás do universo.
-ele é o único?
-não sei, acredito que sim.
-Isso é meio confuso, como ele é a força motris do universo, o que existia antes do universo?
-”deus”
-e antes de “deus”
-não existe “antes” de “deus”, existe apenas “deus”
-não entendi, deus deve ter um passado, deve ter tido um momento no qual foi criando, o infinito não existe, assim como o nada nem o tudo existe.
-como assim?

-infinito é apenas uma idéia, ele existe apenas como palavra, mas não realidade,, mas ao mesmo tempo, é complicado pensar desta forma pois se o universo está se expandindo, o que há alem da fronteira do universo? Nada, diriam os mais práticos, mas eu digo que nada é um conceito errado, pois se eu eliminar todos os meus sentidos e consciência, ainda sobrará algo, é humanamente impossível imaginar o nada, assim como imaginar o tudo é complicado, se tudo tem limite, então o que há alem desse limite? Entende? São conceitos tão abstratos que não existem na realidade.
-hum, mas eu digo que sei o que é nada, tudo e infinito ao mesmo tempo: “deus”. Ele é a própria natureza, o próprio universo, mas tem suas regras…
-regras? Os dez mandamentos?
-ah, aquilo é só abobrinha, aliás, toda a bíblia é uma grande abobrinha…
-incrível! Um padre falando isso!
-é.
– porque se tornou padre? Você tem um perfil para ser um teólogo independente.
– Na minha época os pais escolhiam a profissão do filho, meu pai escolheu padre para mim, eu não tive muita escolha, eu sempre quis ser teólogo por profissão.
– Ele quase acertou heim?
– É, bem, acho que está um pouco tarde, amanha volto para mais discussões teológicas, estou determinado à transforma-lo em um religioso.
– Sei, bem, agora deixe-me dormir, seu “deus” já me arranjou muito problema.

Então o Padre sai e eu fico pensando em Ìsis até dormir.”


Categorias: A Confissão,Contos | Tags: ,

11 Comments»

  • Não gostei da estrutura do texto. Letra minúscula no inicio de frase. =/

  • Vitor Vitali says:

    Bem… Achei Boring, e os diálogos corridos me irritam um pouco, fora isso tá legal^^

  • Andrey Ximenez says:

    Nâo gostei da extrutura nem da maneira de escrita.

    Veja mais teoria rapaz

    =D

  • Pandion says:

    Pedro e o miguxês dele. Mas sempre é legal ver o que se passa na cabeça dos outros.

  • Pedro Torres says:

    tá gente, tá bom eu sei q nfoi meu melhor texto, mas quando eu escrevi isso eu estava um pouco sem inspiração nem animo, e fiz a burrice de mandar, mas isso faz tanto tempo que nem sabia que tava na fila de espera.xD
    ¬¬
    @Pandion
    MIGUXES?
    WTF!
    eu preciso de uma aspirina agora.
    mas relaxem!
    eu ainda n desisti!
    amanha mesmo vou escrever um texto tãobom mas tao bom que eu vou esplodir a cabeça de vocês!
    arrghhh
    (Rage mode off)
    @Andrey
    eu escrevi isso faz tanto tempo que se eu reescrevesse(eu tenho certeza que escrevi essa palavra errada mas n sei onde) ficaria melhor.

    eu tinha certeza que tinha mandado o texto do prédio. Oo
    eu tinah esquecido como esse texto tinha ficado ruim.
    xD

  • Andrey Ximenez says:

    Kkkkkkkkkkkkkkkk

    Poizeh pedro… acho q ja tinha lido um txt seu por aki, achei estranho!

    XD

    To esperando pra ter a cabeça explodida por novos contos, abraz

    o/

  • Teve uma boa repercussão! =)

  • Jones says:

    Cara esse terceiro dia ficou devendo e muito aos outros dois. Espero que volte a boa forma no quarto dia he he he he fica melhor quando o padre e o pia discutem teologia. Abraço Pedro.

  • Pedro Torres says:

    hmmm
    ok, mas depois dessas crticas loucas como chamar meu conto de miguxês…eu vou parar de escrever esse conto por enquanto,q uando eut iver saco,eu escrevo o quarto dia.

  • Raynara Hellonara says:

    A ideia do texto é boa.Mas aconteceu coisa demais no 3 dia. Podia ter desenvolvido mais, mostrar mais a surra que o guri levou. O padre naum deveria ter aparecido neste 3 dia, a Isis tinha que ter decidido se ia ou naum ajudar o guri.. Naum é um texto ruim só precisa ser desenvolvido melhor. Porem quem sou eu pra falar isso se nem consigo terminar um texto do jeito que quero.

RSS feed for comments on this post.TrackBack URL


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério