O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

(15) Orcs [poesia]

Publicado por The Gunslinger

– que publicou 1572 textos no ONE.

Ocupação: Analista de Sistemas de Colaboração, Escritor, Blogueiro.

Grupo a que é filiado: O Nerd Escritor, Blog do Gunslinger.

Base de operações: Corupá, SC – Brasil.

Interesses: Literatura, Cervejeiro, Internet, Teoria Computacional da Mente, Tiro com Arco e Futebol Americano.

Autor(es) Influênte(s): Stephen King, Bernard Cornwell, J.R.R. Tolkien, Neil Gaiman, Patrick Rothfuss, Paulo Coelho.

Livros que recomendo: A Torre Negra (Stephen King), Crônicas Saxônicas (Bernad Cornwell), Crônica do Matador do Rei (Patrick Rothfuss), O Silmarillion (J.R.R. Tolkien), Lugar Nenhum (Neil Gaiman), O Diário de um Mago (Paulo Coelho).

>> Confira outros textos de The Gunslinger

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

Oct
22
2009

Por que os anjos ainda teimam em cair do céu?

Escritor: Adilson Pinheiro

por-que-os-anjos-ainda-teimam-em-cair-do-ceu

Há minha criança não fique assim. Não há mais cor em sua vida?! Ó, Não agüentas tanta dor?! Não isso não é motivo para chorar… Posso te contar um segredo?

Sabe o que eu mais admiro em você?

A sua capacidade de sofrer… De crias retalhos em suas próprias feridas, e sentir “inspiração” enquanto agoniza… É realmente indescritível, eu chego quase a levantar os lábios, como que ensaiando um leve sorriso, ao vê-lo afogando-se em suas próprias lagrimas. É lindo. É perfeito. Os adjetivos, tantos, me fogem a memória, quando ficas cogitando tantos porquês… Engasgando-se em meio a tantos soluços…

Regozija minha alma, saber que naufraga-se nos teus mais puros devaneios, que perde-se, para nunca mais achar, aquilo que chamam de alegria… E que a culpa disso tudo é minha! A meu coração, meu velho coração, não sei se a essa altura ele suporta tamanho gozo. É realmente saboroso o lado frio da verdade. Juro que fico estupefato com tudo isso. Só de imaginar que quando sentir tudo isso, vai lembrar que sou eu o responsável por tamanha atrocidade…

Agora és só o pó, és só perversidade, aprende-se a dar nó em ponta de faca com os próprios punhos… A erguer um leve, leve… Discreto sorrir, ao ver a desgraça de um semelhante. E tudo isso por minha culpa.
Não se preocupe, não… Não. Em breve você vai se transforma, vai parecer comigo cada vez mais… Vai sentir o prazer que eu sinto ao vê-lo sofrer! E, sabe o que é melhor?

Você vai ficar espantado, vai gosta. Pois não a nesse ou em qualquer outro mundo, sentimento mais doce que o ódio… A doçura da dor. É tudo isso que sinto nos dias que sonho com você… Nos dias como hoje.
Não é só a vingança que se come fria, a verdade às vezes vem tão fria que chega a congelar os dentes de quem ousa degustá-la… A ponto de amarga a vida… E te fazer perde os sentidos… Ficando tão frio quanto ela.
Ao menos essa doçura, criança traz consigo uma leve brisa… Leve, leve…
Agora te peço um favor criança…
Apague a luz e feche a porta… Já esta tarde para os vermes caminharem…


Categorias: Contos | Tags: , ,

20 Comments»

  • Olha, muito legal, muito bonito… é um estilo diferente de escritos aqui do ONE.

    Gostei muito Adilson! =)

  • Falta uns ‘r’ no final de umas palavras!? =)

  • vinicius machado says:

    Muito bom Adilson!
    ficou, ao meu ver, estilo um monologo de teatro!

  • Andrey Ximenez says:

    Reparei tb, e tem um “a” q ficaria melhor como ” há ” … mas enfim… não gosto desse tipo de história… acho q o “mal” ja ta mt cliche… não sei exatamente… tem q ter uma ponta diferenete pra chamar minha atenção… como por exemplo um Lucifer educado…

    =D

  • @andrey Aaaa mas não é um simples conto. É o estilo que faz ele diferente. =)

  • Andrey Ximenez says:

    =/

    hj vou discordar guns…
    ao meu gosto não agrada
    =/
    Mas nunk disse q era ruim
    ^.^

  • sola says:

    N fiz uma correçao aque preste nesse foi mal galera… As criticas estao anotadas..

    = )

    vLw

  • Portinari says:

    Parece um lamento heróico de uma unha encravada.. mais é um belo texto, parabêns ao autor.

  • sola says:

    Eu soh notei q mandei a versao sem correçao ontem de madragu, mandei outro email mai n foi a teempooo…

    xP…

    De Qq forma… VlW…

  • E.U Atmard says:

    Muito profundo, um tanto sádico, mas em suma bem forte. Mais um conto Adilson, mais um conto muito bem escrito, na minha opinião está a tornar-se numa grande escritora!

  • “numa grande escritora”?! Atmard… acho que você errou o sexo do rapaz! =)

  • Andrey Ximenez says:

    Kkkkkkkkk

    de inicio eu fiz a msm confusão por causa do nick guns “sola” parece nick feminino ( sem ofensas )… só depois q eu fui ver o nome do kra… mas ainda bem q foi o atmard q cometeu a gafe e não eu

    xD

    Brinks Atmard!

  • sola says:

    kkkkkkkkkkkkkkkk…

    QAl foi mans???

    kkkkkkk….

    my mane sola…

    rsrsrs…

  • Gostei, achei um estilo bem interessante.

    Tenho apenas uma ressalva quanto ao português. No trecho

    “saber que naufraga-se nos teus mais puros devaneios, que perde-se,”

    Teria que ser

    “saber que SE naufraga nos teus mais puros devaneios, que SE perde”

    Porque o “que” atrai o pronome 😉

    Fora isso, gostei, especialmente o uso dos adjetivos e das reticências, estão dando um clima e um ritmo bem legal 🙂

  • E.U Atmard says:

    ups, desculpe Adilson, não estou habituado a este tipo de nomes. Não leve a mal, foi mais ou menos o que o Andrey disse…

  • Creio que algumas pessoas não estão acostumadas com um lado tão sarcástico quanto esse, onde o monólogo mostra o quão belo pode ser a vitória de ver um semelhante cair. Eu diria que esse tipo de discurso, estaria mais para o Sadismo/Sarcasmo de Azazel.
    Tirando os pequenos erros já citados, o texto é bastante cativante: Huum.. Chego a imaginar Azazel se deleitando com a queda de Raphael, nessas horas

    (Rúbia Cunha – Organizadora do Fiat Voluntas Tua – Por Anjos e Demônios; Editora Multifoco)

  • Luiz Gustavo says:

    Ficou muito bom. Acho que alguns errinhos (como a troca de há por a, e vice-versa), e a quantidade um pouco excessiva de reticências acabaram por deixar o texto esteticamente feio, no entanto, a estória diz por si só. O drama, as frases e sentenças, tudo ficou perfeitamente posicionado. Só tome cuidado na hora de digitar para não engolir algumas letras, como o caso do ‘R’ em alguns verbos no final. Mas é de fato uma ótima obra. Haverá continuação? Adoraria ler um pouco mais sobre estes anjos caídos.

  • O que eu mais gostei foi a forma da escrita, gosto deste tipo de linguagem (tirando os errinhos e bla bla bla). Mas muito bem descrito, as palavras soam muito bem.

  • sola says:

    Eu mandei a versao sem correçao ( erro lamentavel ), ¬¬

    vlw pessoal, em breve tem mais concerteza…

  • Awoke says:

    É um gênero diferente de história, é legal, mas meio curto.
    Bom.

RSS feed for comments on this post.TrackBack URL


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério