O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

(2) Moby [agenda]
(3) Prova [agenda]
(13) Burqa [poesia]
(11) Ursos [poesia]
(14) 100 [conto]

Publicado por ONEbot

– que publicou 282 textos no ONE.

Oi!

Sou o ONEbot. Se esse texto esta em meu nome, provavelmente ele foi publicado no ONE nos primórdios de sua existência.

O autor real do texto deve aparecer junto ao corpo dele, logo no incio.

>> Confira outros textos de ONEbot

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

Apr
28
2010

Belial – Relatos da Queda – Capítulo IV

Escritora: Samila

belial-relatos-da-queda

Ira

Eu estava inquieto, imerso em um sentimento nunca antes experimentado.

Minhas mãos tremiam, mas eu não compreendia o motivo. E quando tentava, apenas uma coisa me vinha à mente: A lembrança do olhar de desprezo que recebi de Samael.

Samael pareceu então ter um poder sobre mim semelhante ao poder de Deus: Ser ignorado por ele doeu em mim tanto quanto fui ignorado por meu Pai, e em nome de meu orgulho eu não poderia permitir isso. Eu queria ser amado, queria que o Criador viesse a mim como costumava vir antes, queria que Samael sorrisse para mim como sorriu da primeira vez. Queria que ambos vissem minha beleza, escutassem a minha voz, sentissem da minha luz e me amassem por ser o que eu era.

Simplificando, eu queria ser adorado.

Mas por mais prepotente que eu fosse, não conseguia imaginar Samael curvando-se aos meus pés, e se o Senhor não queria mais sequer ouvir meus cânticos, sequer banhar-me com seu esplendor, que dirá dedicar a mim um elogio que fosse.

Em minha sabedoria, soube que seria impossível, mas não me conformei.

Se eles não me adoravam, eu sabia de alguém que o faria… Sim, minha doce Lilith haveria de me adorar. Essa era a única certeza que eu tinha naquele momento, pois era o brilho de veneração nos olhos dela
ainda eram doces lembranças em minh’alma, assim como os sussurros de prazer que escaparam por sua boca, assim como as juras de amor que ela me ofereceu.

Aquilo era tudo que eu precisava no momento.

Sem o receio da primeira vez, desci ao Éden a fim de encontrar o alimento de minha vaidade, e em consequência, de minha luxúria. Estava ávido por nossos momentos de intimidade e diversão, esperando que os mesmo fossem capazes me fazer esquecer toda minha inveja e frustração.

Mas me arrependi de tê-lo feito assim que meus pés tocaram o chão e meus olhos se depararam com o motivo de meu primeiro ciúme. Vi o corpo nu de Lilith encostando-se ao de Adão repleto de desejo. Ela o tentava e o seduzia, queria fazer com ele aquilo que nós dois havíamos descoberto juntos. Eu sabia que era errado sentir sobre ela aquele sentimento de posse, afinal, era o Homem o esposo da Mulher, e não um
anjo como eu. O Criador havia feito assim em sua infinita sabedoria, e logo assim que deveria ser. Mas mesmo sabendo disso, era duro demais para eu aceitar. Por que teria apenas o Homem o direito de amar? Por que teria apenas ele o direito ao prazer?

Enquanto eu pensava nisso, as carícias dos dois se tornavam mais íntimas, e nisso Adão era tomado pelo instinto primitivo que lança o homem à mulher. O desejo não pela mulher ou pelo amor dela, e sim pela
cópula em si. E mesmo conhecendo tão pouco Lilith, eu podia entender que não era aquilo que ela queria, afinal, não foi aquilo que eu quis nela. Lilith queria ser amada e desejada, e sentir prazer, e por isso
ela tentou convencer Adão a não fazer da maneira simples como sempre faziam. Tentou beijá-lo e ficar por cima dele, mas ele não permitiu.

Ela então insistiu, e esse foi o motivo de sua queda enquanto Mulher.

-Por que tenho que me deitar abaixo de ti? Não me trate como se eu fosse inferior a ti, Adão. Não queiras me dominar.

Adão, diferentemente da bela criatura de corpo delicado que se encontrava diante de si, a qual contava apenas com sua doce voz e sua imensa beleza para fazer valer sua vontade, tinhas fortes múculos, e
com sua força e bruteza, estapeou a mais bela face feminina já vista.

Em uma cólera brutal e impensada, literalmente voei sobre ele e golpeei seu rosto com um soco. No momento eu sequer fui capaz de pensar no que estava sentindo ou porque estava fazendo aquilo, mas
depois de um tempo eu compreendi: Aquela havia sido a primeira vez que a Ira havia me tomado.

Oh sim… Para alguém que nunca havia sentido nada além de amor e adoração, eu estava caindo bem rápido, mergulhando nos piores sentimentos que poderiam ser sentidos. Mas pouco me importava… Eu
nunca tive uma consciência, afinal, e por isso minha prioridade era apenas uma: descontar toda a raiva que sentia naquele que ousou bater em minha Lady.

Em minha fúria cega, mais uma vez levantei minha mão contra o Homem, e se eu não o matei, foi apenas porque fui contido por um grande poder divino.

Por um momento cheguei até a me sentir satisfeito, pensando que finalmente havia conseguido atrair o Pai até mim, mas ao olhar para a mão que segurava meu braço e ouvir a voz severa falar-me, vi que
estava errado.

-O que pensas que estás fazendo, Serafim? –Ele me perguntou aparentemente calmo, mas sua voz me transmitia evidente censura. Sua face tinha traços jovens, mas aparentemente endurecidos, o que
demonstrava grande disciplina e comprometimento com o seu dever Analisei-o, a fim de saber como proceder. Por sua aura eu pude saber que era de fato poderoso, mas me perguntava o quanto. Suas asas eram duas e grandes, mas não tanto quanto as de Samael. Da mesma maneira, ele não conseguiria nunca se equiparar no quesito beleza, embora fosse de fato muito charmoso. Seus olhos eram claros como o sol e seus cabelos curtos e castanhos, tal como o tronco do cedro. Mas o que mais me chamou atenção nele definitivamente fora seu porte, tão altivo e imponente. Parecia um dos heróis que por séculos habitaram o
imaginário humano: A aura de poder, confiança e bondade, e a armadura metálica e brilhante, tão diferente de tudo que eu já vira, e que só voltaria a ver com a ascensão do povo romano. Talvez essas
características fossem até dignas de inveja, mas no momento eu apenas o detestei por me impedir de bater no Homem.

-Estou a punir Adão por ter machucado sua esposa. –Respondi simplesmente, querendo esconder meu receio e minha decepção pelo fato de o Criador não ter achado minha ação suficiente para vir
pessoalmente deter-me… Ah… Como eu era pretensioso…

-Quem pensas que és para te achar no direito de punir o Homem?

-Quem pensas que és para te achar no direito de me impedir?

-Sou Miguel, o primeiro dos Arcanjos.

Eu olhei com desdém, afinal, apesar de toda aquela presença que ele emanava, não parecia ser mais poderoso que eu, e muito menos do que Samael, que com palavras secas e trajando uma simples túnica branca me fez tremer.

-Sabes quem sou, Arcanjo? –Falei raivoso, fazendo alguma força para que ele soltasse meu braço.

-És Beliel, o primeiro dos Serafins.

-E como Serafim, sou mais próximo do Criador do que tu. Não achas que me deves algum respeito, Arcanjo? –Fazia questão de repetir sua função, como se ela fosse inferior à minha.

-Devo respeito apenas ao Grande Pai, e às missões das quais ele me incube. Sou eu o responsável por vigiar e proteger o Homem, este é o meu dever, e não o teu. Que eu saiba, cabem aos Serafins o louvor e o canto, então restringe-te ao teu domínio, e não interfira no meu.

–Falou imperativo, com a severidade de um general que mais tarde eu descobriria que ele de fato era. Em seguida ele me soltou, provavelmente sabendo que eu não teria como reagir de maneira eficiente.

Por alguns instantes vi-me simplesmente embasbacado perante aquela resposta, não por ser ofensiva ao meu ego –e era, mas pelo fato de ela estar totalmente correta. Procurei no âmago de minha inteligência
por uma resposta a altura, e a encontrei.

-Se é teu dever primar pelo bem-estar do Homem, deves primar também pelo bem estar da Mulher, que é como ele! Sendo assim, seria tua obrigação defendê-la do ataque deste bruto, e não obrigar-me a encostar minhas mãos nele a fim de impedir seu ato! –Eu disse raivoso, apontando meu dedo para a face avermelhada de minha dama que ainda se encontrava caída no chão.

Miguel pareceu pensar um pouco a respeito, mas bem pouco. O suficiente apenas para franzir um pouco a sobrancelha. Disse em seguida, como quem não se importava –e de fato não se importava:

-Sigo as ordens do Senhor, que são de guardar e defender aquele que seria Sua imagem e semelhança. Pois foi Homem o primeiro, e a ele foi dado o domínio sobre a Terra e sobre tudo que a habita. Se fores
sábio, Beliel, volta ao teu domínio e não mais te intrometas no que não deves.

Nesse momento minha Lilith se ergueu, compreensivelmente furiosa.

-E como isto haveria de estar certo? Por que haveria Adão de ter domínio sobre mim?

-Porque assim o Pai o fez, e não está em teu poder questionar a decisão dele, Lilith. Resigna-te e pede perdão por tuas tolas palavras de dúvida e revolta. –Miguel falou calmamente, como se estivesse explicando a uma criança porque ela deveria obedecer a seus pais.

Mas Lilith nem de longe poderia ser considerada uma criança. Ela sempre foi muito esperta. Podia não ter recebido a sabedoria que nós anjos recebemos, mas ela tinha o poder de ver além, de enxergar o
mundo de outra forma, e de questionar motivos. Digo-lhes com convicção, meu caros, que foi aquela mulher que deu origem a Filosofia, e em conseqüência a todo conhecimento humano.

Uma pena que na época isso não tinha valor algum, e suas questões haveriam de ser respondidas sempre da maneira mais tola e insatisfatória possível.

-Compreenda, Lilith: Essa é a ordem natural, o Homem pondo-se acima da mulher. Sempre foi assim, sempre assim será, pois essa é a vontade do Pai. –Miguel concluiu, e com isso, completou a primeira revolta que o universo já vira.

-Pois eu vou-me embora! –Minha Lady bradou revoltada, assustando não só a Miguel, mas a mim também. Afinal, éramos anjos, e por isso abandonar Deus era uma idéia mais do que absurda, independentes de
circunstâncias ou motivos. Nós dois ficamos tão aturdidos que sequer conseguimos falar qualquer coisa, e coube a Adão a vã tentativa de impedir sua consorte de partir.

-Tu não podes! –Manifestou-se irritado. –Tu és minha esposa!

-Por ser tua esposa eu hei de me tornar tua propriedade?

-Sim, pois o Pai criou-te para fazer-me companhia! Para isso e mais nada!

Ela bufou e jogou seus longos cabelos para um dos lados do pescoço, notavelmente deixando-se tomar pelo calor daquela discussão.

-Mesmo que seja verdade, eu não aceitarei! Não permitirei que me trates como uma propriedade, e que me trates como inferior, pois eu sou dona de mim mesma e sou semelhante a ti! Assim como tu, fui criada
da terra, e por isso não permitirei que me domines como dominas as plantas e os animais!

Nesse momento Adão mais uma vez levantou a mão para bater em sua esposa, e eu em um rápido reflexo o impedi. Mas Miguel, em um movimento ainda mais rápido do que o meu, jogou-me contra o chão de
maneira violenta.

Pensei em xingá-lo e atacá-lo, mas assim que ergui a cabeça, notei apontada para mim uma das mais assustadoras armas que um anjo poderia presenciar: feita de ferro puro e nobre, do tipo que faria um rei
desprezar seu ouro e um alquimista jogar fora todos os seus manuscritos. Do tipo que um homem jamais poderia criar ou manusear, tamanha sua perfeição. Algo impetuoso e que conseguia unir todas as
forças advindas da Terra, de seus mais profundos e desconhecidos recantos. A lâmina fina e mortal, nobre e brilhante, que parecia emanar vitória e divindade. Mesmo sem tocá-la, eu sentia seu poder, e por isso sabia que ela seria capaz de cortar não apenas minha carne, mas até –e principalmente- meu espírito.

Tratava-se de uma das quatro espadas sagradas, dadas apenas aos quatro arcanjos guerreiros, os quais eu mais tarde descobriria serem, além de Miguel: Gabriel, Uriel e, pasmem, aquele que viria a ser meu rei,
Samael.

Mesmo sem nunca ter experimentado a dor antes, só de olhar para aquela espada eu parecia saber exatamente como seria caso ela encostasse em minha pele, e por isso aquele temível objeto feito de poder despertou em mim um temor sobrenatural, jamais antes imaginado, muito menos vivenciado. Ante o torpor ocasionado pelo medo, eu me vi incapaz até de me mover.

Vendo que eu não teria coragem para me levantar, muito menos desafiá-lo, ele embainhou sua espada e fechou os olhos, como se buscasse pelas palavras certas para evitar mais conflitos.

Infelizmente, ele não as encontrou.

-Lilith, reconheço o motivo dos absurdos que falas, da mesma maneira que os reconheço como imperdoáveis blasfêmias. Pecas ao questionar o bom senso daquele que te criou e criou a tudo, mas ainda assim apiedo-me de ti e partilho contigo um pouco da sabedoria que a mim foi dada pelo Criador, na esperança de minhas palavras toquem tua alma e façam com que te arrependas de teu crime: Se quiseres de fato rebelar-te contra teu esposo e abandoná-lo, poderás ir. Tal como o homem, foste dotada do poder da decisão. Mas te enganas se por isso pensas que és igual a ele, pois és mulher, e como tal és fraca.

Precisas de teu marido para te manter e te proteger, e como se não te bastasse tua fragilidade, no momento que deixares o Jardim do Édem, cairão sobre ti todos os males que hoje sequer tens conhecimentos. Teu corpo se abaterá, e tu adoecerás. Sentirás fome, sede e fraqueza, e então o arrependimento te tomará da pior forma possível. Lembra-te, Lilith, que se hoje estás no Paraíso, é apenas graças ao grande amor e poder do Pai Criador, por isso, contenta-te com a graça de tua condição e obedece ao teu marido, pois foi por conta dele que foste criada.

Minha dama ficou extremamente nervosa após as palavras de Miguel.

Mordeu o lábio inferior um tanto apreensiva, o que era compreensível graças à imponência e severidade daquele arcanjo, mas diferentemente de mim, não se encolheu, muito menos se ajoelhou. Manteve sua
recém-adquirida altivez e o belo brilho esverdeado de seus olhos.

Confiante e corajosa, ela desafiou a ira divina:

-Como disseste, tenho a liberdade da escolha, e eu escolho ir, pois não permitirei que meu semelhante se ponha acima de mim e me domine!

Não preciso de Adão, pois tenho meus braços e minhas pernas, e com eles hei de viver, mesmo fora do Édem.

-Tola! –Miguel gritou. –Como ousas abandonar o amor de teu Pai?

-E que Pai amoroso é esse que permite que sua filha seja humilhada?

Não, não quero servir a um Senhor que é tirano comigo apenas porque sou Mulher. Vou-me embora, e ainda convido Beliel para vir comigo.

–Ela disse audaz virando-se para mim e estendendo sua mão. –Vem comigo, meu anjo! Vem ser livre, como eu serei!

Eu olhei então para a mão que ela me estendia. Tão pequena e delicada, de pele tão suave… Tão pouco condizente com a coragem e o atrevimento representados naquele ato.

Eu a olhei admirado e temeroso. Por um momento pensei em aceitar aquela mão e toda a desgraça que haveria de cair sobre nós devido àquele ato. Estava assustado, mas tentado. E se não o fiz, foi apenas
porque eu jamais poderia ser como Lilith, senhora de sua vontade e de seu destino… Pelo menos era o que eu pensava àquela altura, afinal, eu era um anjo, e como tal, era inconcebível para mim aquela idéia. Eu ainda não era capaz de contemplar a liberdade de decidir por mim mesmo.

E tendo isso em mente, eu virei meu rosto e fitei o chão, permanecendo com meus joelhos sobre a Terra. Peguei sua mão, mas não a utilizei como apoio para levantar-me. Apenas beijei seu pulso pálido e em
seguida sussurrei envergonhado:

-Desculpe-me…

Ela não escondeu o descontentamento decorrente de minha recusa, e com isso puxou violentamente sua mão das minhas.

-Eu os odeio e os amaldiçôo! A todos vocês! E digo que todas as desgraças que cairão sobre mim nesse momento hão de cair sobre vós também! Apenas aguardem e verão!

Tendo profetizado sua maldição, minha Lilith foi embora, sozinha e magoada, andando em direção às longínquas e secas Terras de Nod.

Após esse episódio, eu voltei ao meu domínio, derrotado e moribundo, imerso em culpa e remorso. Enquanto solitário em meu vazio, e me vi pensando sobre Lilith, perguntando-me sobre o que teria acontecido caso eu a tivesse seguido. Até hoje eu não sei, não consigo sequer fazer suposições. Não que eu guarde arrependimentos, mas eu tenho uma certeza: naquele dia Lilith deixou de ser doce, e por isso tornou-se incapaz de amar.

Fazer com que a mais bela e forte mulher que já andou sobre a Terra se tornasse fraca e armagurada: esse foi, pelo menos para mim, um dos meus maiores pecados.

55 Comments»

  • Lord Jessé says:

    PLAC! PLAC! PLAC… (aplausos)
    Muito bom. fiquei muito envolvido com a história, e tenho que dizer, é fascinante. A forma como você descreve o serafin e a forma como ele adora à Deus, e Lúcifer, e Meiguel.
    e aproposito, acho que tem um erro, em um momento que está assim:
    “Gabriel pareceu pensar um pouco a respeito, mas bem pouco.”
    Não seria Miguel???
    Mas ficou muito bom, e pelo que percebi pelos titulos tem mais 3 não é? Estou esperando

    • Samila says:

      Ah, você começou pelo ultimo, Jessé XD
      Os primeiro estão na agenda, só ver aí em cima ^^
      e sim, eu cometi um erro! nahi, que droga! será que se eu pedir para o Guns, ele edita?
      Obrigada por avisar e ler ^^

  • peregrina says:

    muito bom samila!
    eu acompanhei a historia toda e me apaixonei por ela.
    vc vai continuar?

    • Samila says:

      Pode deixar que eu vou sim continuar.
      Nesse exato momento estou escrevendo o capítulo 5 ^^
      obrigada por ler e acompanhar =D

  • Lord Jessé says:

    Não comecei pelo ultimo não!^^
    Eu li todos mas achei melhor comentar no ultimo.
    Eu li o primeiro, então não resisti e desenfreadamente tive que ler os outros logo em seguida.
    E mais uma vez Parabéns.
    Mas e então? Tem mais três?

    • Samila says:

      tem mais não sei quantos.. o.o
      só tenho que terminar de escrever XD
      Belial ainda vai fazer muita bagunça no céu XD

      • Asami says:

        Que bom! Estou roendo as unhas numa ansiedade enorme esperando o próximo conto… ih! Acho que viciei! 😉

  • Asami says:

    Que incrível!!! Estou aqui, louquinha pela continuação. Li em um dos seus comentários que demoraria um pouco pra sair a quinta parte… espero sinceramente não ter que esperar muito. Não sei se a ideia te agradaria muito, mas acho que depois de publicar o conto aqui no ONE, ele merecia virar um livro. Em resumo, amei a história e de cara fui arrebatada por ela, parabéns Samila! 😀

    • Samila says:

      Obrigada, Asami! És muito gentil!
      E essa sugestão que você deu na verdade é um sonho antigo meu! Fico feliz de ver alguém que acha que eu conseguiria, quem sabe, realizá-lo.
      Muito obrigada =D

  • JhonnieXD says:

    MAAANOOOOO mto booom essa historia, da uma vontade de continuar, e continuar, e continuar lendo…. por mim vc ganhava o nobel de lietratura AMEEEI MTOOOOO, quando chegam os proximos?

    • Samila says:

      Muito Obrigada, Jhonnie ^^
      Senti-me lisongeada.
      Eu já estou escrevendo o próximo cap, não devo demorar muito para terminá-lo.
      Grata pela leitura e comentário ^^

  • alex says:

    nunca vi uma historia tao mentirosa como esta a biblia nunca mencionou outra mulher alen de eva se isto for real a biblia e uma mentira ou a igreja catolica escondeu este manuscrito e ken acredita nisso nao sabe nada sobre a biblia

    • Samila says:

      1- Isto é um texto de ficção, portanto não deve ser tomada como referência.
      2- A bíblia também e um texto de ficção, portanto não deve ser tomada como referência.
      3- Foi dado por Deus, todavia, a todos os seres humanos, o livre-arbítrio, o qual se estende às ações e aos pensamentos.
      4- Isso que dizer que se você acredita na bíblia, eu lhe respeito, pois você tem esse direito.
      5- E quer dizer também que se eu acredito no que descrevo nesse texto, você deve respeitar.
      6- Não que eu acredite na FICÇÃO que estou escrevendo, mas…
      7- De qualquer modo, posso lhe garantir que eu tenho uma boa intimidade com a Bíblia.
      8- E por isso sei que Lilith é citada em Isaías 34:14, enquanto demônio noturno.
      9- Se você não a achou lá, foi porque a Bíblia foi mal-traduzida e porcamente adaptada para o português, e a minha bela Lady foi chamada de ‘coruja’ ou ‘criaturas noturnas’.
      10- Mas de fato, a versão cristã aponta Eva como a primeira mulher.
      11- Lilith foi a primeira mulher de acordo com a Tradição Judaica, a qual foi aos poucos se modificando de acordo com a avanço cristão.
      12- E de fato a Igreja Católica escondeu muitos livros que antes compunham a bíblia.
      13- Outros ela simplesmente queimou.
      14- Alguns manuscritos ‘sobreviveram’, dentre eles, os mais famosos são os evangelhos apócrifos.
      15- Se você não sabia disso, meus parabéns. Você é um ótimo exemplo de cristão que segue a bíblia recortada e modificada, exatamente como a Igreja quer.
      16- Mas se você quiser procurar outras fontes, leia o Cabala, o Corão, a Bíblia de Jerusalém, o Livro dos Espíritos e os infinitos textos pagãos disponíveis aos mais curiosos.
      17- Apenas mantenha a mente aberta, e não vai se arrepender.

  • peregrina says:

    boa samila!
    eu sou cristã,mas não me importo nem um tiquinho de ler essas historias de FICÇÃO.os católicos já omitem as historias há muitos séculos.
    por exemplo:jessus não naçeu na pascoa,foi os catolicos que inventaram,a pascoa ainda é parte do verão e jesus nasceu no outono.

    • Samila says:

      Eu não tenho religião, mas sou de uma família católica, e por isso recebi toda minha formação religiosa dela.
      Além disso, eu me interesso muito por religiões, mitologias, teologia, demonologia…
      Como você disse, Peregrina, muitas histórias foram omitidas, modificadas e inventadas nesses 2000 de cristianismo… que dirá o que mudou antes disso.
      Provavelmente não vão poder dizer exatamente quando exatamente jesus nasceu. Alguns estudiosos afirmam que no nosso ano 0 do Calendário Cristão, que deveria ser o ano do nascimento de Cristo, o menino jesus já estava provavelmente com 4 anos.
      Eu acredito que mais importante do que procurar a VERDADE em textos sagrados, é buscar inspiração, boas lições, ensinamentos dignos de serem aprendidos.
      A bíblia, especialmente no novo testamento, possui muitas coisas boas. Outras, todavia, inspiram desrespeito contra a mulher, contra outros seres humanos, contra outras crenças, além de mostrar deus como um ser opressivo e vingativo.
      Não gosto disso.
      Por isso é importante manter a mente aberta, e buscar constantemente o conhecimento, a luz, e é claro, o respeito.
      Até o Luciferismo possui práticas interessantes e úteis aos seres humanos, desde que se mantenha o bom-senso e o respeito com o próximo.

  • peregrina says:

    voce tem razão,na minha familia todos tem uma mente fechada…
    só eu consigo ver o outro lado da coisa,a outra versão com a mente aberta.
    talvez um dia os seres humanos consigam ler a verdadeira historia,sem mentiras e alterações imperdoáveis.

  • Humm.. tive que liberar já esta última parte. Esta ficando com muitos comentários. … .. . . só tomara que o pessoal leia a parte 2 e 3. =/

    • Samila says:

      ninguem comentou nas partes 2-3… acho que isso serve de experiência…. deixar disponível no máximo dois capítulos por vez, pois só comentam no primeiro e no ultimo ‘-‘

  • Lord Jessé says:

    Uhu!!!! Da-le Samila!

    Eis a minha opinião em relação aos comentários acima.
    1º Como a Samila disse: é um texto de ficção. Povinho coloca isso na mente! É como história de vampiros e lobisomens. Mas mesmo sendo ficção, são histórias que me fascinam. Assim como este conto que a Samila escreveu.
    Embora eu acredite que Eva foi a primeira mulher.
    É um texto de ficção!!!! Então esse Alex ali não deve assistir filmes, porque não sei se ele sabe, mas a maioria dos filmes são ficção.
    Como foi dito; você acredita no que você leu se quiser.
    Tenho que dizer, sou cristão também( e evangélico por sinal !!). Mas mesmo assim, adorei esse conto, e praticamente todos os dias leio e releio esses contos, contos esses que me fascinam cada vez mais, e me despertam o interesse por ler e escrever.
    Não importa se é real ou não. Não importa se você acredita ou não.

    • Samila says:

      Obrigada, Jessé ^^
      e bem, eu sou louca por religiões, então o que não me falta são argumentos quando as pessoas chegam dizendo “mas na bíblia tá assim” ^^

  • Vania says:

    Parabéns, Samila! Assim como Asami, acho que merece um livro!!

    Desde os primeiros capítulos da “saga” notei que os temas giram em torno dos pecados capitais. Sou católica e fui catequista por nove anos. Não acho que absolutamente nada do que você escreve seja ofensivo a Deus pois, além de ser uma história de ficção (e você não ter a intenção de “catequizar” ou “evangelizar” ninguém) trata sobretudo da natureza humana que é vil, repleta de vaidade, luxúria, inveja, ira…

    Concordo que temos que ter a mente aberta e que nossos textos são frutos de nossas experiências e de nossas leituras. Já dizia Monteiro Lobato: “quem não lê, mal ouve, mal fala, mal vê”.

    Beijos!

    • Samila says:

      Mais uma vez, obrigada, Vania ^^
      Não sei se já disse isso antes por aqui, mas infelizmente o foco não serão os 7 pecados, pois alguns, como a gula, eu não consigo imaginar o belial cometendo ^^
      A partir de agopra será amis ele fazendo os outros cairem com ele, arrastando os outros anjos para o pecado também
      obrigada por ler e comentar =D

      • Lord Jessé says:

        kkkk
        É! Realmente seria interessante Belial comilão!
        A não ser que fosse uma gula não em relação a comida, mas sim aquela um perfil glutonico, de querer tudo de uma vez, como é o caso da nescessidade, que ele tem que Deus de atenção a ele.
        E de querer Lilith pra ele.

  • Andrey Ximenez says:

    Bem…
    A verdade é que eu admiro muito tua técnica de escrita. Acima de tudo pq tu tens um talento inegável pra se escrever em primeira pessoa, talento esse que eu invejo muito.

    Em relação a religiões, acho que como a Samila disse, o que importa são as lições que tiramos e não se aquilo é verdade ou não, se aconteceu ou não. Uma das histórias mais bonitas que ja li sobre amor à humanidade está retrata em Demônio: A queda (suplemento de RPG para Storyteller) em relação a queda de Lucifer.

    Há também de se constatar uma coisa: Há muito de Samila nesse texto. Infelizmente tenho a péssima mania de quem ja cursou letras, de sempre analisar o perfil psicológico que empurrou a mão para o escrito e, por isso, de certa maneira o conto perdeu um pouco de seu impacto sobre mim.

    Mas mesmo perdendo o impacto, é perfeito. Longo porém não cansativo.

    Acho q o elogio que teceste em relação a minha pessoa se adequa muito mais a ti do que a mim. Acho que temos no ONE alguém q tem tudo para escrever muitos e muitos livros no futuro, tornando-se uma das representantes brasileiras em questão de literatura.

    Se for lançado um livro baseados nessa história, deixo gravado aqui meu intuito de compra-lo e ainda ir buscar tua assinatura pessoalmente.

    Enfim. Se tornaste a minha escritora favorita aqui. Aguardo os demais caps.

    Um abraço
    =]

    • Samila says:

      Nossa, Andrey, sabia que é feio fazer as pessoas ficarem com cara de choro no trabalho? ‘-‘
      Fiquei emocionada agora… ._.
      Sabe, já me disseram antes que eu deixou transparecer mesmo muito de mim no que escrevo, mas eu pessoalmente nunca notei… o que eu deixo transparecer, Andrey?

      Esse relato que você citou é realmente lindo. Um primor, vindo de um demônio.
      O bem e o mal são tão relativos…

      E bem, aquele comentário foi sincero. És o meu escritor favorito daqui do ONE, e nossa, tem muita gente boa postando aqui, gente que eu leio e penso “olha, bem melhor que aquele best-seller que tá no topo dos mais vendidos da Veja”.
      Como eu disse antes, em algum comentário daqui, escrever um livro e publicar é o meu maior sonho, e esse comentário me ajudou muito a continuar perseguindo-o, sabe?
      Deixo contigo o mesmo intuito, Andrey, de comprar um livro seu, e vê-lo autografando-o!
      Abraços!

      • Andrey Ximenez says:

        =]

        Há muito de Samila no sentimentos de Belial. Há muito de Samila na revolta de Lilith. Há muito do pensamento de Samila nas ações de Adão.

        Enfim. Da pra sentir a tua energia no texto.

  • Lord Jessé says:

    É isso ai.
    O Andrey está coberto de razão. Concordo com ele em gênero, numero, e grau…
    Mesmo tendo bons escritores aqui, tenho que repetir algo que eu já disse um dia: você é uma escritora excepcional.
    E espero mesmo que lance o livro.

    … Estou vendo que eu vou pro Amapá atrás do
    meu autografo ( longe pra caramba!!!). ^^

    • Andrey Ximenez says:

      Pois é… Moro no sul (longe pra *#@&)

      • Lord Jessé says:

        Também moro no sul.

        Cúritiba. ^^ (obs: tá muito frio agora!)

        • Andrey Ximenez says:

          Rio Grande Sul.
          Chuvinha em Porto Alegre
          u.u

        • Samila says:

          Vixi, todo mundo do sul…
          o pior é que nem dá para eu ir aí, senão congelo XD
          eu já falto morrer em São Paulo, que dirá curitiba… XD

          • Lord Jessé says:

            Podem me chamar de louco, mas eu adoro o frio.
            Acho bem melhor que calor, mas contudo eu gostar, tenho que admitir que hj tá fodastico

          • Andrey Ximenez says:

            SUahsuashuashaus aqui ainda não desceu o frio contudo…
            Mas se for levar q no ultimo inverno eu tava trabalhando com 2grc…

            Acho q esse vai ser pior.
            (Gosto de frio tb \o/)

          • Samila says:

            eu odeio, odeiooo calor
            Mas por estar acostumada com sol de rachar e 40° todo dia, minha tolerância ao frio é bem pouca ‘-‘

  • Eu sou do sul, sou do sul
    É só olhar pra ver que eu sou do sul, sou do sul
    A minha terra tem um céu azul, céu azul
    É só olhar e ver
    “… 😀

  • Andrey Ximenez says:

    Samila. Teu e-mail e msn, sério.

  • HIOTO says:

    Finalmente venci meu preconceito contra o assunto e resolvi ler. Confesso que não me a arrpendi.

    A história está muito boa como um todo. A escritora é ótima sem sombra de dúvida.

    Me arrisco a dizer que você Samila, acredita em deus e o teme, embora não goste dos deuses que as religiões pregam. O texto nos mostra isso (você escreve o nome dele com letra maiúscula), só pra citar. Também nos fala de você, característica de textos em primeira pessoa, sempre deixando escapar algo de quem escreve nas personagens.

    Infelimente, independente de religião, é fato inegável que a fé é cega. É difícil chutar tudo que está aí desde que nascemos, passado de pai para filhos e netos há tanto tempo. O segredo é respeitar a crença e opinião dos outros, além de não ter medo de duvidar.

    É fato que ninguém nasce sabendo.

    • Samila says:

      Olá, Hioto!
      Primeiramente, muito obrigada por ler =D
      e bem, eu acredito sim em deus, mas sou uma baita herege que blasfema sem parar, e sem temer… Afinal, o deus no qual acrdito é bom, e vai levar tudo na esportiva XD
      Eu escrevo o nome dele em maiúsculo no texto para demonstrar o temor de Belial a ele, pois mesmo após cair, tanto os anjos quanto os demônios tremem e temem ante Seu poder, sacas? XD
      Dá mais impacto, a meu ver ^^
      E sim, fé é algo complicado… religião e crença, maios ainda
      a chave de tudo é bom-senso e respeito.
      Vou em missas católicas (cerca de uma vez por ano XD), escuto pregações protestantes no rádio, rezo preces espíritas, acredico no evulocionismo, tenho certeza que o universo está em constante expanção, estudo demonologia, chamo o Belial de Lord, tentei aprender magia enochiana e piro muito ao som de black metal.
      o importante é ser uma boa pessoa.
      XD

      • Andrey Ximenez says:

        Alguém já ouviu falar em Rohden?

        O cara foi um padre católico, e os textos filosóficos dele são algo sensacional.

        Sabe..o tipo de coisa que vale pra qualquer religião… realmente. Mt interessante. indico ( e detalhe, o cara é brazuca )

        Humberto Rohden

        • Samila says:

          já li algumas coisas…. bom rapaz XD
          me identifico muito com ele….

          • Andrey Ximenez says:

            Sim… um menino muito simpático e bom.

            Descobri ano passado que foi ele que casou meus bisavós, quanto era um padre recém formado (e essa a palavra?)

            xD

  • Vinicius says:

    Muito bom, este é o mais envolvente de todos eles, serio.
    Continue assim Samila, tens talento.

  • lucas c lima says:

    A história continua fazendo de bonzinho um demonio …af
    pelo menos miguel coloco moral na história

  • mindhazard says:

    Quando Belial rejeita o convite de Lilith…
    Fiquei extremamente impressionado ao perceber que algo dentro de mim também se sentiu traído, como se esperasse que ele aceitasse, como se também tivesse fazendo aquele convite.
    Incrível, muito bom D:

  • Miyaneo says:

    Eu to amando (lendo ainda cof cof)
    Eu não curso nada, meu português é pior que o português de um porco (What??) e bem… Isso não importa muito quando eu estou lendo, na verdade.
    Eu sempre busco aquilo que me encanta, acho que mesmo se eu cursar letras ou qualquer coisa relacionada assim, eu ainda vou manter minha postura de só ler o que eu gosto heheheh
    E isso você faz muito bem *0*

    Uma coisa que eu gostei muito em você é que, mesmo que alguém critique seus textos, você sabe como explicar ou argumentar, mas sem aquele negócio que todos fazem de ter muito ego na cabeça e ignorar eles (tipo do carinha lá em cima que falou sobre Lillith e Eva >…<

    Ah, e eu estou *cof cof cof* tentando comprar seu livro "A Lenda de Fausto", minha amiga comprou ele e fica babando falando dele, e eu só cada vez mais quero (só vou poder no final do mês T_T me aguarde -qq)

    Ahhh, me desculpe pelo comentário extenso e.e
    E muito obrigada por escrever. E aqui no ONE também nhaw *0*

  • ESSA HISTORIA E MT BOA GOSTEIII MUITOOOOO QUERIA SABER MAIS SOBRE MIGUEL DE Q EU SOU DVOTO DELE

RSS feed for comments on this post.


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério