O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

(2) Moby [agenda]
(3) Prova [agenda]
(13) Burqa [poesia]
(11) Ursos [poesia]
(14) 100 [conto]

Publicado por ONEbot

– que publicou 282 textos no ONE.

Oi!

Sou o ONEbot. Se esse texto esta em meu nome, provavelmente ele foi publicado no ONE nos primórdios de sua existência.

O autor real do texto deve aparecer junto ao corpo dele, logo no incio.

>> Confira outros textos de ONEbot

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

Apr
27
2010

Desilusão

Escritor: Murilo Andrade

desilusao

Entrou pela enésima vez na comunidade de escritores amadores do Orkut. Gostava de ler sobre as experiências de pessoas que tinha o mesmo sonho que ele, mesmo sabendo que provavelmente ninguém lá alcançaria a fama que ambicionava. Era uma forma de não se sentir o único no mundo a ter interesse nessa atividade mágica, capaz de transmitir sorrisos e lágrimas. Seus conhecidos sequer liam, quanto mais escrever. Pegavam na caneta mais por necessidade do que por prazer, como ele fazia sempre.

Sua única frustração era que nunca achara ninguém para avaliar seus textos, saber se estava indo bem ou se deveria mudar algum detalhe das tramas que bolava. Então escrevia só para si e mais ninguém. Não era verdadeiramente um escritor, já que escritor é aquele que é lido, mas se orgulhava como se fosse mais lido que o Paulo Coelho e seus livros vendessem mais que pão.

Certo dia aventurou-se. Criou um blog para publicar suas histórias e passou a divulgar arduamente o endereço na internet. Mas quando vieram os seus primeiros leitores, ele percebeu chocado, odiaram tudo o que publicara, criticando-o duramente e sem dó alguma. Mas como isso era possível? Logo ele que escrevia tão bem. Ao menos assim o achava. 80 comentários ao todo e nenhum elogio. Desistir: foi à ideia que lhe veio a cabeça. E assim o fez. Só leria seus livros e não se meteria mais com essa tal de literatura, que só lhe trouxe decepção e tristeza.

Passou-se dois meses. Nesse tempo não havia escrito nem uma linha, tirando, claro, as atividades da escola. Nem entrava mais na comunidade dos escritores amadores. Estava lendo bem menos também, preenchendo esse tempo com os desenhos da televisão. E dos desenhos veio a vontade de desenhar os personagens que gostava e provou ter um talento raro para a atividade, conseguindo fazer ilustrações semelhantes mesmo com o modelo em rápido movimento na TV. Tornou-se seu novo hobby. Desenhava de tudo. Pessoas, lugares, animais, personagens dos desenhos. Seu caderno da escola tinha mais desenho do que os assuntos das aulas.

Não demorou muito tempo para começar a desenhar histórias completas, quadrinhos, que compensavam seu parco talento na atividade de narrar. E fez isso durante anos, até um dia conseguir se tornar profissional e se manter com este trabalho, ainda que não o mais respeitado da sociedade, e tivesse certo receio de afirmar que era quadrinhista. Mas nunca se esquecera do blog que criou há tanto tempo e dos comentaristas raivosos que, indiretamente, levaram-no ao caminho do sucesso e da fama que sempre ambicionou.


Categorias: Contos | Tags: , ,

10 Comments»

RSS feed for comments on this post.TrackBack URL


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério