O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

(2) Moby [agenda]
(3) Prova [agenda]
(13) Burqa [poesia]
(11) Ursos [poesia]
(14) 100 [conto]

Publicado por ONEbot

– que publicou 282 textos no ONE.

Oi!

Sou o ONEbot. Se esse texto esta em meu nome, provavelmente ele foi publicado no ONE nos primórdios de sua existência.

O autor real do texto deve aparecer junto ao corpo dele, logo no incio.

>> Confira outros textos de ONEbot

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

Apr
21
2010

Rex Virtualis – Insider

Escritor: Gerson Machado de Avillez

rex-virtualis

Após um bom descanso que permitiram a equipe chegada ao Japão se adaptar um pouco ao fuso horário, levantaram cedo, no entanto, sem maiores problemas mesmo que ainda fosse madrugada. Quando já se locomoviam até lá uma equipe se revesava num constante plantão de vigilância sempre atentos a toda e qualquer movimentação e rotina estabelecida a procura de discrepâncias que dessem qualquer indicio de ilicitude. A batida iria começar umas duas horas antes da suposta janela de tempo com o fator surpresa de elementos vestidos com civis para não chamar a atenção. Assim o cerco pela tropa sabendo que eles eram muitos e possivelmente bem armados fora feito num movimento sincronizado de forma discreta enquanto a equipe técnica dos cientistas e peritos aguardavam num lugar seguro até o sinal de que poderiam vir quando a área estivesse segura.

No momento que um caminhão com o logo da All-Tomato encostava, todos a postos aguardava até o momento de agir quando viram retirarem o logo da empresa da carroceria do caminhão o que parecia confirmar as suspeitas especialmente pelos técnicos que confirmavam de dentro de um caminhão num quarteirão próximo acompanhando toda a movimentação por televisores. Foi quando eles viram sair de lá um homem com uma tatuagem nas mãos identificado por Tatsuya, um suposto descente de um grupo formado por um ronin. Em sua mão esquerda estava tatuado um grande número ‘sete’ e na direita um ‘oito’, com um estilo bastante distinto dos demais ele observava atento mas calmamente enquanto descarregavam algo do caminhão.

Tatsuya era um mercenário fanático do qual fazia serviços afim de reunir recursos para sua causa a da implementação da dominação pelas máquinas subvertendo tudo que nela estivesse conectado. Dizia-se segundo as investigações que este misterioso homem teria matado Alvaro Watcham acreditando que ele se tornaria um deus do qual ele seguiria as ordens! Era extremamente perigoso e impiedoso, perito em diversos tipos de artes marciais e no manuseio de armas ele por si só se dizia ser uma arma letal.

Mas aquele não seria o dia dele, pois antes que ele pudesse agir dezenas de veículos pessoas atiradores surgindo da sacada dos prédios próximos renderam cada um daqueles homens dando tempo apenas de Tatsuya fugir para dentro do galpão. No entanto, a policia sabia que não haveria como ele entrar ainda no suposto local pois ainda não era a hora da abertura da janela prevista para exatamente hora e 36 minutos.

Rapidamente todos foram algemados e revistados para se ver se não representavam perigo, todo o procedimento dentro da lei fora seguindo com enorme cautela e a operação até ali estava sendo um sucesso. Porém, os agentes ao entrarem e renderem os demais operários muitos saindo assustados e as pressas sem saber o que ocorria, provavelmente porque grande parte nem sabia no que estava envolvida Tatsuya sumiu em meio as enormes fileiras de engradados e caixas com frutas trangénicas que iriam em pouco tempo sair para serem embarcadas.

Em meio ao ruído do trabalho de máquinas e vapores que surgiam do subsolo, o ruído intermitente do suposto artefato que isolava eletromagneticamente parecia interferir no equipamento altamente tecnológico dos soldados, no rádio e no sistema de localização que usava o mapa do local para saberem onde estavam. Assim completamente receosos dois soldados caminhavam lentamente por entre caixa escrito All-Tomato quando dentre os vapores surgiu Tatsuya lançando um certeiro golpe na arma deles e seguido por outro em sua garganta, a única área desprotegida em seus uniformes fazendo estes imediatamente cairem. Então mais dois surgiram e vendo que não estava em posição ele recuou novamente até as nuvem de fumaça que saia dos subsolo desaparecendo. Os soldados então tentaram mudar a visão do seu receptor no capacete para outro tipo de visão mas a interferência não permitia. No desespero ao ver um destes caído desacordado no chão tirou o capacete mas quando se virou deu de cara com Tatsuya que sem exitar o atingiu em cheio o locautiando.

O chefe de operações já havia saindo do caminhão percebendo a dificuldade de comunicação pela interferência no sinal pedindo para estes se re-agrupassem na busca de Tatsuya. Com o alerta lançado mesmo que Yates Winston, John Roberts e Akihiro Sadao já estivesse vendo os operários sendo levados dentro de um ônibus da policia receberam ordens de que ficasse numa distância segura do galpão pois algo ainda estava acontecendo lá dentro na busca por Tatsuya.

Uma hora se passou e não conseguiram encontra-lo, percebendo então que faltavam poucos minutos para a abertura o chefe de operações resolveu cercar o local da janela chamando Yates Winston, John Roberts e Akihiro Sadao na guarda de alguns soldados bem equipados para inspecionarem o local enquanto no fundo do armazém haviam dezenas de soldados inspecionando o local a procura de Tatsuya mesmo sabendo que todo o quarteirão estava cercado e não havia para onde ele ir.

Ao entrar no local, chamou bastante a atenção de John Roberts a quantidade de vapores que saia de bueiros no subsolo, mas em sua imersão introspectiva fora cortada por Yates ao dizer em tom de sarcasmo:

– O nome desta empresa seria um trocadilho com autômato? Observe as datas, essas frutas são antigas!

– Provavelmente – disse Roberts meio automaticamente como se estivesse pressentindo algo – essas frutas devem ter sido esterilizadas por irradiação constante.

Ao chegarem na porta, era se possível Yates sentir sua obturação latejar na boca e o equipamento e-Tremor numa versão portátil demonstrava as oscilações aumentando mesmo que por vezes parecia quase sair da escala comum.

Então Sadao retirou do bolso um cronômetro analógico sabendo-se que artefatos digitais sofreriam muita interferência no local e comentou que faltava poucos minutos quando uma série de oscilações nas luzes do local começaram a ocorrer até que do nada apagaram. Imediatamente os soldados entraram em alerta vermelho e se agruparam em volta da equipe para protege-los, pois não sabiam eles se era por causa da abertura da janela ou Tatsuya que havia realizado alguma sabotagem. Então depois de um breve momento de silêncio o se escutou um grande chiado e vapores saíram da porta se abrindo mesmo que pela camada espessa de nuvem não fosse possível se ver o que havia dentro até ela ir se dissipando gradualmente revelando um local de alta tecnologia. Ao entrarem lentamente junto aos soldados que apesar tivessem ordens de não tocar em nada estaria dispostos a atirar em qualquer coisa que especialmente colocasse em risco a equipe técnica de cientistas.

O silêncio lá dentro era grande, mas logo Roberts escutou um ruído de respiração ofegante vindo do final da sala depois de descerem a pequena escada que dava acesso ao subsolo. Era um homem que apesar de ter um rosto idêntico a de Watchamn seu corpo despido revelava-se como uma verdadeira aberração assustado mas vendo que ele estava inconsciente Robert olhou curiosamente para aquele criatura e imaginou os tipos de experimentos que naquele lugar eram realizados. Foi quando viu num canto um homem chorando desesperado e que se encolheu todo quando Roberts se aproximou, era Chikako Hajime, ele estava lá sequestrado afim de usarem seus dons e conhecimentos nos experimentos que lá eram feitos até que quando sua serventia acabasse fosse morto. Até que Roberts se identificasse junto aos demais Chikako gritou ao ser tocado por Roberts que disse saber o que ele passava afinal ele já havia vivido numa situação similar. Mas somente ao ver o rosto de Akihiro Sadao ele se acalmou percebendo que eles não eram seus inimigos. Assim estendendo a mão Akihiro disse:

– Venha meu amigo, você agora estará seguro.

E tirando o jaleco o cobriu e pediu para que dois dos soldados o levassem para fora dali enquanto continuavam a inspecionar o local. Mas quando ele ia Roberts ao encontrar em meio a bagunça do local como se tivessem abandonado as pressas uma pasta perguntou a Chikako:

– Há outra pedra verde neste local?

Chikako então completamente encabulado apontou para a estranha armadura semanas antes roubada que estava num canto distante da sala do qual era se possível praticamente apenas ver o brilho da pedra dizendo que ela era uma das fontes do grande equipamento que estava a redor deles. Aquela pedra era definitivamente singular, a muito se especulava até mesmo que teria sido encontrada na Lua pela missão Apolo o que era mentira, mas logo Chikako revelou rapidamente que ela era capaz de canalizar de forma potencializada o campo magnético gravitacional da terra como uma fonte inesgotável de energia para aquela armadura. Aquela pedra tinha utilidades inacreditáveis cuja aquela encontrada no Alasca era apenas uma ‘lasca’ daquela que ali se encontrava de acordo a pasta encontrada sobre a mesa. Após falar isso Chikako saiu do local, pois o aquele lugar era bastante grande e haviam salas que eles ainda não haviam entrado especialmente pressupondo que certamente haveria gente naquele local quando Yates escutou um estalo atrás dele e ao se virar viu um homem de cadeira de rodas lhe apontado uma arma e pedindo para ele se render.

Os soldados imediatamente apontaram as armas mas era tarde Yates havia sido feito refém a cadeira dele andou sem que ele tocasse qualquer mão em suas rodas quando ele viu um crachá escrito seu nome, Marshal Gale. Ele usava uma notória tecnologia que tornava capaz de mover a cadeira por comandos dados diretamente pelo cérebro. Assim sorrateiramente ele fora recuando até se aproximar da armadura quando um braço robótico saiu após ele apertar um botão com a mão esquerda o pegando e levando-o até a armadura. Quando a arma saiu do campo de mira de Yates os soldados atiraram, mas o artefato parecia misteriosamente forte o suficiente para não sofrer qualquer avaria. Yates então correu para um canto e pediu para que não atirasse, pois havia equipamentos e muitas informações que não poderiam ser destruídas.

Quando a armadura se fechou, várias luzes se acenderam desligando a pedra dos demais equipamentos e fazendo o ruído oscilar fortemente como se ativasse algo, a máquina então se levantou e revelou uma série de equipamentos modernos ligados a ele contrastando daquilo que parecia ser pouco mais que uma armadura medieval de tão antiga que era, mas rapidamente numa só pisada ela destruiu a cadeira que Gale estava e levantando outro braço se revelou uma pequena metralhadora ligada que ativada começou a atirar destruindo a tudo que estivesse perto dos soldados os obrigando a recuar. Neste momento luzes vermelhas se acenderam como se ao sair dali tivesse ativado algum sistema de emergência curiosamente aumentando a intensidade do sinal eletromagnético enquanto a máquina saia de lá revelando em seu cocanhar uma pequena flor que parecia multicolorida acender por si só, se tornando luminoso.

Diante dos disparados um outro braço se estendeu até uma porta fechada a abrindo e fazendo com que dela saísse um homem, Lory Ferguson. A máquina indo em sua frente o protegendo dos tiros que a essa altura eram dados sem permissão mas para os soldados salvarem suas próprias vidas, logo a situação se agravou ainda mais quando um abalo sísmico começou fazendo sacudir todo o local que em questão de instantes parecia querer ruir enquanto mais vapores pareciam sair de cada fresta que se abria no chão. Era vapores provavelmente provocado pela onda enviada pela imensa máquina no fundo da sala que agora sacudia junto ao local.

Quando se deram conta os dois já haviam fugido e eles apenas poderiam pensar em salvar suas próprias vidas ao perceberam o grande terremoto que começara enquanto a máquina agora na superfície destroçava soldados que se encontrassem em seu caminho apenas restando a eles que já estava confundidos pelo tremor fugir, mesmo que numa rápida visão os prédios caiam a sua volta e as ruas pareciam abrir-se em fendas como se quisesse engolir carros inteiros, até que eles entraram num caminhão e o ligando saiu batendo em todos os carros presentes na operação fugindo em meio ao tremor que se alastrava rapidamente pela cidade enquanto amanhecia fazendo seus moradores saírem atordoados de suas casas.


Categorias: Contos,Rex Virtualis |

1 Comment»

RSS feed for comments on this post.


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério