O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

Jun
23
2010

A Lenda da Rosa Azul Capitulo III – O Humano, a Elfa e o Buraco

Escritor: Vinicius Maboni e HIOTO

a-lenda-da-rosa-azul

Por volta do meio-dia, a vegetação já não era tão densa e logo Loren se viu uma vez mais na estrada dos homens. Seguindo por ela em algumas horas estaria novamente em Hal, pequena cidade onde as mais variadas espécies se encontravam, na maioria das vezes para fazer negócios de todos os tipos. Ali deveria procurar pelo centauro Wordz. Enquanto não chegava o pensamento ainda se mantinha em sua família. Perdeu vários dias procurando pistas sobre a rosa azul fora de Alzegrim, inclusive em Hal e agora que ouviu sobre o centauro, precisava visitá-lo.

Pensar sobre sua família a fazia prender-se a questão da imortalidade. Para um elfo, encarar a morte é a maior dor do mundo, já que no geral são imortais, exceto caso sofram ferimento fatal. Fora uma dor imensa para Loren perder sua mãe, seu pai estava distante e não se perdoaria se não conseguisse salvar seu avô.

– Aqui, ajuda!

Com um susto se libertou de seus pensamentos. Os gritos vinham de dentro de um buraco na margem esquerda da estrada. Já com o arco armado se aproximou do que parecia uma armadilha de caçadores e apontou…

– Por favor, não me mate!

Era um humano ou quase. Devia ser jovem. Uma criança para os padrões élficos.

– O que faz aí embaixo criatura? – Disse Loren, mais calma agora. Não tinha visto ou falado com muitos humanos durante sua pequena longa vida, mas eles divertiam-na bastante com seu jeito apressado e incomum de encarar as coisas da vida e seus acontecimentos atribulados.

– Eu… caí aqui dentro sem querer. Minha perna está doendo. Pode me ajudar moça?

– Não sei se devo. Você é um estranho e sempre fui educada para evitar estranhos – Loren quase ria. Pensou melhor e viu que era maldade brincar com alguém naquela situação. Valendo-se do conhecimento de sua raça sobre áreas selvagens, não foi difícil localizar uma árvore onde crescia uma trepadeira parasita, que serviu-lhe de corda para içar o estranho de dentro do buraco.

– Pelos deuses moça, me ajude! Estou aqui por horas, não consigo me mover muito. Tem muitos insetos nesses buracos, sem falar no cheiro e na lama…

– Pela deusa digo eu! – Loren jogava agora a corda improvisada para que o estranho subisse. – Você fala mais que o xamã em noite de ritual! Agarre-se à corda e não solte. Vou tirá-lo daí.

Quando terminou de ser puxado pelo buraco, o rapaz olhou com espanto para a elfa, que parecia não fazer nenhum esforço para sustentar seu peso. Ela o reconheceu mas não poderia dizer nada, já que ele não a tinha visto na floresta dias atrás. Um silêncio estranho pulsou entre eles por algum tempo.

– Para onde você vai? – começou o humano – Não sabe que é perigoso pra uma moça ficar sozinha na estrada dos humanos?

– Corro risco de “cair” em um buraco? A propósito não precisa mesmo agradecer – Virou-se sem mais satisfações e continuou seu caminho.

– Espera, é sério, tem uns bandidos perigosos por ai…

– Acho que não caiu naquele buraco não é?

Nesse momento Markus emudeceu – o centauro o mataria se soubesse que lhe roubaram a espada.

– Preciso procurar uma coisa, obrigado pela ajuda – dizendo isso Markus tomou o sentido oposto a Hal, indo o mais rápido que podia.

Loren ficou com a impressão de que ele provavelmente escondia algo. Resolveu não julga-lo precipitadamente porque estaria agindo como um humano. Seguiu-o silenciosamente até o entardecer e notou que seguia um rastro de cavalo. Uma fumaça típica de acampamento denunciou aonde ia.

Havia três homens grandes de porte bem “forte” sentados em volta de uma fogueira. Logo atrás três cavalos pastavam tranquilamente, sendo os primeiros a notar a presença de Markus.

O jovem humano, de frente para os três homens – que não viam ameaça nele e permaneceram tranqüilos – murmurou algumas palavras e atirou algo ao chão que fez os três grandalhões rirem, mas por pouco tempo. Segundos depois uma raiz brotou da terra e prendeu o da direita ao chão.

– Vim buscar o que tiraram de mim. – falou Markus com a voz firme, duvidando se teria sido realmente uma boa idéia encarar o problema tão de frente.

– Tente pegar – disse o do meio já desembainhando a espada élfica furtada.

Loren conhecia aquela espada. E o vislumbre dela fez com que saísse de seu esconderijo e ficasse entre o homem e o garoto.

– Ora, mas que coisinha mais linda – começou o cavaleiro da esquerda.

– Quer mostrar um pouco da arte élfica minha boneca? – disse o outro homem. As coisas iam esquentar agora.

O primeiro carregava uma maça de guerra e o segundo a arma que levou ao impasse. Pelo jeito como se vestiam dava pra notar que andavam por aí saqueando viajantes incautos. Eles avançaram para a elfa que se irritava ao imaginar o que eles andaram aprontando, dificultando a vida de pessoas como Markus. A espada responsável por aquele “encontro” era uma raridade élfica perdida há séculos. Loren não se perdoaria se não recuperasse parte da história de seu povo que estava bem ali. O jovem humano com certeza devia algumas explicações.

– Vocês querem ver arte élfica? Vocês verão. – com muita habilidade armou o arco com uma de suas preciosas flechas. Os cavaleiros não demonstraram medo e estavam cada vez mais perto quando, sem saber exatamente porque, Markus colocou-se na frente dela, avançou para o lado do cavaleiro que portava a espada e o atingiu com um soco, desequilibrando-o, mas pela surpresa que pela força do golpe. Seu companheiro rapidamente o defendeu, acertando o braço esquerdo de Markus com a pesada maça. Loren estava perplexa, já que não esperava tal atitude de um garoto humano. Markus estava muito machucado pelo golpe e o próximo ataque o mataria, então a elfa disparou sua flecha contra o ladrão, acertando-o em cheio no peito e levando-o ao chão. Não estava morto.

Para sorte do imenso delinqüente, sua veste de malha de aço se mostrou bastante útil impedindo a flecha de lhe fazer mais que um pequeno corte. De qualquer forma aquilo assustou aos três que fugiram deixando a espada e o cheiro de um belo cozido.

Os dois improváveis companheiros decidiram então se apossar do acampamento dos três valentões usufruindo de seus sacos de dormir e até mesmo de sua comida. Passaram alguns minutos comendo sem muitas palavras. De certa forma Markus tinha algum receio de iniciar uma conversa com a elfa que lhe pareceu tão assustadoramente valente.

– Onde conseguiu essa espada? – perguntou por fim Loren quebrando o silêncio.

– É uma encomenda. Apenas fui buscá-la onde me indicaram que estaria. Ela é muito bonita não acha?

– Quem lhe mandou ? – perguntou ignorando o comentário do garoto.

– Eu não posso dizer, não sei se ele gostaria que eu – antes da frase sair por completo Loren já apontava a mesma espada em direção ao pescoço de Markus.

– Eu acho que ele não se importaria.

– Por favor, foi Wordz, o centauro. Todos têm medo dele.

– Têm é? – respondeu Loren seca – Meus parabéns garoto, acaba de ganhar escolta até Hal.

Aproveitaram o resto do dia para fazer a pouca distância que os separavam da cidade dos humanos e foram em silêncio. Loren pensava sobre o que o garoto lhe dissera e sobre seu indefinido companheiro de viagem de quem ainda não sabia o nome e que era, ora corajoso como um elfo, ora covarde e indeciso como um ladino. Markus imaginava se essa moça de aparência tão doce e frágil seria a mesma que o puxara do buraco tão facilmente e encarava os ladrões da estrada com mais coragem que muitos dos soldados beberrões de Hal.

Nesse ritmo, chegaram na cidade sem se falar e o silêncio entre eles foi quebrado apenas quando a elfa exigiu que ele a levasse até o centauro. Depois de atravessar quase toda a cidade, avistaram a ferraria e na porta dela, a figura imponente de Wordz.


Categorias: A Lenda da Rosa Azul,Contos | Tags: , ,

33 Comments»

  • Asami says:

    Outro excelente conto. Parabéns! Excelentes personagens, descrições, ritmo e enredo… aguardo os próximos 😀

  • Vinicius Maboni says:

    Esse saiu mais cedo do que o esperado…

  • Lord Jessé says:

    Excelente!

    Como já disse muitas vezes aqui, e repito novamente, eu gosto muito de elfos.

    E essa história esta cada vez melhor.

  • TkFlash says:

    Showw ,continuem no embalo que tah bacana. Aguardo!

  • Perla says:

    ta otimo…
    q venha o proximoo….
    estou a espera…
    *-*

  • Andrey Ximenez says:

    ” mas pela surpresa que pela força do golpe. ”

    Mais pela surpresa que pela força do golpe.

    Mt bom gurizada. A história segue atraente e gostosa de se ler.

    Porém, como não se trata de um “conto” e sim de uma novela ou possível romance, acredito que mais descrição do cenário, especificando o espaço e outras coisas fosse calhar bem.

    =]

    Mas no mais, segue mt bem a história.

    • Vinicius says:

      Valew Andrey, confesso que de inicio era pra ser um conto mesmo…
      Mas olha o que ta virando..
      =]

      • Jones says:

        He he he, é sempre assim no inicio, o cara se esforça, mas não sai nada muito pequeno, só textos imensos.

  • cell bad says:

    num acredito cade a continuaçaõ oque terá atras da porta????
    e o centauro cade??//
    massa packas manda logo a continuaçao
    shoow!!!!!!!

  • Victor says:

    Muito bom, manda o proximooO

  • Giovana says:

    Muitoo bom .. aah cada conto da vontade de leer mais *-*

  • Betinho says:

    eh superou o outro tbm
    a cada conto uma superaçao ein
    v6 mandaram muito bem
    esperando o proximo com anciedade
    😀

  • HIOTO says:

    Bom, eu não queria falar…
    .
    Juro que não queria…
    .
    Mas…
    .
    Pegou mal esse título viu.
    .
    \o/

    • Vinicius Maboni says:

      Hahahaha
      acredit aque eu não tinha prestado antenção nisso?
      deve ser pq num tenho poluição na mina mente…
      mentira tenho sim…
      xD

      • Andrey Ximenez says:

        A Lenda Rosa Azul

        Avatar feelings…

        • Jones says:

          Ei Andrey, acho que foi pelo buraco mesmo!! hauhasuahsuahsuahs O humano, a elfa e o buraco, foi agressive a coisa!! Já que elfos são boiolas, ela tem de se virar em outras paragens!!

  • Geovana says:

    Uhuul.
    mt booom ,
    que venha o próximo!

  • GeeKS says:

    Muito bom, esse terceiro foi o melhor até então. Sem dúvidas de que está mais para novela do que conto, mas enfim…

    Que o próximo esteja longe de ser o último, e que esse conto que virou novela consiga passar de novela para filme (e que neste filme alguém acabe agarrando a Loren) kkk

    Abraços garotada, parabéns, vocês estão sabendo como atrair os leitores, continuem assim!

  • Érica says:

    Ahh.. tah muito bom..
    quero logo o 4º capítulo!!

  • Maykinho Martins says:

    Isto aew Brow ..Muito massa 😀

  • Wilker says:

    OPA! ESTÁ ESQUENTANDO. RSSRS
    MUITO BOM, AGUARDO O PRÓXIMO. ABRASS

    • Jones says:

      Cara, se por ai esta esquentando, aqui no sul a coisa tá complicada!! 4°C é pra matar!! O frio ta de reguear cusco!!

  • Jones says:

    Bom, depois de avacalhar nos coments dos outros, venho fazer o meu comentário!

    Uma ou duas letras engolidas, tão com fome ein rapaziada! Mas nada que estrague a leitura, ta divertido, ainda mais pelo titulo!! Esperava algo mais QUENTE desta vez, mas…. he he he.

    Caras tá muito bom, fodastico mesmo!

    • HIOTO says:

      Valeu Jones. Bom saber que você leu, embora eu desaprove os coments spam que vc fez (eu queria ver até quando ficava na agenda sem ter que passar pros amigos lerem).
      Mas enfim, não pude deixar de responder o comentário sobre elfos serem boiolas. Sei que você falou de brincadeira, mas foi feio. xD
      .
      Sempre gostei de elfos (e de elfas e meio-elfos e meia-elfas)e não admito que se diga isso só porque são artistas e magos. Grande sacanagem da sua parte e da parte de muitos outros dizerem isso! (meu deck de magic é de elfos e não perde pra nenhum outro).
      .
      Saiba que você perdeu 1% da admiração que eu tinha por você quando li aquilo (mas ainda tem 99%).
      Valeu por ter lido, abraço. ^^

      • JonesVG says:

        Sem grilo Hioto, meus melhores personagesn eram elfos espadachins que usavam duas espadas e muita destreza em combate, mas não espalha!!

        Mas digo que ainda prefiro os Drowns e quem já leu as aventuras de Drizzt irão dizer o mesmo, não pelo Drizzt em si, mas por Menzobenrranzan, Acho que se escreve assim he he eh ehe he!!

      • Andrey Ximenez says:

        KKkk…


        Eu ja nem sei qnt tempo os meus vão ficar na agenda xD

        Qnt a discussão sobre elfos… bem… acho que o problema é a babação de ovo em cima deles.

        É claro que eles são bacanas… pegamos como exemplo Glorfindel, Legolas e o próprio Drow mais Querido de Forgotem…

        É uma das minhas raças favoritas.

        =]

  • Nada de Irdan, hoje sai a Rosa Azul!! 😀

    Outro grande sucesso no ONE hehehe… vou twittar isso. 🙂

  • Isadora says:

    ótima historia quero muito continuar a ler ela.
    ja estou envolvida com os personagens apenas em 3 capítulos
    espero que publique novos cap com frequencia ^.^

    • HIOTO says:

      Está nas mãos do pistoleiro Isadora. Que bom que gostou – não existe outro motivo pra escrever senão esse!.
      >
      Guns, cadêa pizza dessa parte?

      • Comi! :O

        😀

        • Vinicius Maboni says:

          Eis que a misteriosa pizza surge do nada, terá nosso anfitrião substituido por uma de plastico? Ou se arrependeu de come-la e pos uma outra de volta?

          Não percam o proxímo espisodio de “O pisteiro e o misterios da Pizza”.

          haha viajei agora…

RSS feed for comments on this post.


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério