O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

(2) Moby [agenda]
(3) Prova [agenda]
(13) Burqa [poesia]
(11) Ursos [poesia]
(14) 100 [conto]

Publicado por ONEbot

– que publicou 282 textos no ONE.

Oi!

Sou o ONEbot. Se esse texto esta em meu nome, provavelmente ele foi publicado no ONE nos primórdios de sua existência.

O autor real do texto deve aparecer junto ao corpo dele, logo no incio.

>> Confira outros textos de ONEbot

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

Jan
08
2011

Espelhos

poesiaEscritor: Luiz Gustavo O. Xavier

Oh, pequena Laverna,
Por que odeia tanto teu corpo?
Por que menospreza teu reflexo?
Perdeste a luz entre as sombras?

Onde está a perfeição?
Por que vozes e imagens ainda me assombram?
Hugo, por que os reflexos zombam de mim?
As velas se apagaram, e com elas, a luz.

Sente-se enojada com tua imagem?
Os cacos de vidro não satisfazem teus desejos?
Aprenda a amar, pequena.
Reacenda o Sol e traga tua luz de volta.

Você pode ouvi-los?
Consegue escutar os corvos a crocitarem?
Onde está a beleza?
A luz queima, arde; destrói.

A beleza está dentro de ti.
A vaidade te persegue.
A tentação dos espelhos te corrompe.
Por que menospreza tua aparência como as imagens o fazem?

Por que flores não desabrocham no inverno?
Por que a perfeição não pode ser alcançada?
Hugo, consegue me alcançar?
Pode me ouvir? Pode me amparar?

Não chore, pequena.
Transformai tuas lágrimas em água.
Transformai teus remorsos em sonhos.
Transformai tua dor em vida.

A luz humilha, ridiculariza.
É esnobe com aqueles que saem em teu brilho.
Onde está o meu brilho?
Onde estão as estrelas?

Transformai o brilho da luz no teu próprio.
Fazei de tu uma estrela única.
Contaminai o céu com teu esplendor.

Espelhos profanam mentiras.
Destruí os espelhos de teu pecado.
Sejais bela do modo como é.
Sejais apenas Laverna.


Categorias: Poesias | Tags: ,

1 Comment»

RSS feed for comments on this post.


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério