O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

(15) Orcs [poesia]

Publicado por The Gunslinger

– que publicou 1572 textos no ONE.

Ocupação: Analista de Sistemas de Colaboração, Escritor, Blogueiro.

Grupo a que é filiado: O Nerd Escritor, Blog do Gunslinger.

Base de operações: Corupá, SC – Brasil.

Interesses: Literatura, Cervejeiro, Internet, Teoria Computacional da Mente, Tiro com Arco e Futebol Americano.

Autor(es) Influênte(s): Stephen King, Bernard Cornwell, J.R.R. Tolkien, Neil Gaiman, Patrick Rothfuss, Paulo Coelho.

Livros que recomendo: A Torre Negra (Stephen King), Crônicas Saxônicas (Bernad Cornwell), Crônica do Matador do Rei (Patrick Rothfuss), O Silmarillion (J.R.R. Tolkien), Lugar Nenhum (Neil Gaiman), O Diário de um Mago (Paulo Coelho).

>> Confira outros textos de The Gunslinger

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

May
21
2013

Impulsividade e seus dois gumes

Já digo logo, sou impulsivo. E não tem nada que tire mais minhas horas de processamento cerebral do que esse dom de dizer e fazer coisas, por achar no momento que este era o melhor a ser feito.

Bate um arrependimento? Não diria isso.

Ser impulsivo me permite ser eu mesmo, permite que eu experimente mais a vida, deixando ela um pouco menos controlada.

Emoções e ações. A impulsividade pode ser comparável a um bumerangue. Você atira ele ao vento. Ele voa livre, demostrando uma fluidez natural em seu movimento. Por este momento de vôo tudo esta certo, tudo esta como deveria estar. É lindo.

Até que você vê o bumerangue fazendo a curva. Ele irá voltar. E quando se é impulsivo, você deve estar preparado para receber de volta o que foi jogado. Ou se esta preparado, ou irá levar sempre porrada na cabeça.

(Claro que acabei de escrever esse texto e já estou postando aqui. E a inspiração para escreve-lo vem de um bumerangue lançado…. que vejo fazer a curva neste momento)

1 Comment»

  • Claudeir da Silva Martins says:

    Já fui impulsivo daqueles de perder o controle mesmo, kkk… Tanto é que já tive uns dois acidentes onde bati forte com a cabeça… Rsrs… No entanto, a auto-ajuda foi muito boa para mim nesse aspecto. Agora, também devo dizer que a impulsividade sempre acaba nos dando um impulso, um gás para fazer as coisas. Porque muitas vezes deixamos de fazer por conta da falta da bendita da impulsividade. Devemos sempre estar no comando de nossas ações. Senão ela acaba no controlando, mas se soubermos como lidar com o impulso, podemos colher bons frutos dela. União entre emoção e inteligência, criatividade com lógica, imaginação com razão, lado direito com lado esquerdo do cérebro.

    Muito bom o exemplo do Bumerangue. Esteja preparado para pegá-lo! Caso contrário, ele vai te machucar. Legal! A inspiração veio enquanto jogava o bumerangue. Às vezes costumo ter inspirações vendo formigas, tanto é que já escrevi um conto infantil sobre formigas por causa de uma guerra terrível de formigas que ocorreu aqui, no quintal da minha casa. Lógico, essa guerra só aconteceu porque eu joguei um formigueiro em cima do outro. Mas é isso, muito bom! Gostei de ter lido teu texto.

    No mais, fui! 🙂

RSS feed for comments on this post.


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério