O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

Publicado por Karolinna Brighida

– que publicou 1 textos no ONE.

20140822_123200

>> Confira outros textos de Karolinna Brighida

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

Oct
31
2015

UMA MENTE SUICIDA.

Apresentação

Oi, eu me chamo Patrícia, tenho 19 anos. Sou uma pessoa branca, dos cabelos pretos, dos olhos cor verde mel, sou magra.

Sou depressiva, as vezes fico me lembrando dos momentos felizes que eu passei ao lado de meu pai. Essa depressão veio por causa da morte de meu pai e o que aconteceu em seguida, minha mãe se casou e o marido dela se tornou um alcoólatra. –Quando ele chega em casa, ele sempre está bêbado, e acaba agredindo minha mãe e eu–.

 

Uma lembrança

—Ó filhinha, venha cá.

—Papai, vamos sair!!!

—Pra onde você quer ir?

—Quero ir tomar sorvete!!!

 

Fomos tomar o sorvete e na volta:

 

—Aaaaai! –comecei a chorar–

—O que aconteceu? O que você tentou fazer?

—É que eu fui correr e cai…

—Ó meu Deus! Filha seu joelho está todo machucado! Espere ai que eu vou te levar no colo.

—Ok.

 

Meu pai me leva no colo, e quando chegamos em casa já foi logo pegando um remédio para passar no meu machucado.

 

Mais uma briga e cortes

 

É meu pai se preocupava muito comigo, mas ele morreu. E a única coisa que sobrou foi minha mãe e aquele bêbado. A única vontade que tenho é de morrer, não tenho sonhos, nem planos. O único plano é me matar.

Não quero que minha mãe sofra, mas não aguento mais viver.

 

De repente ouço a porta se abrir e coisas caírem. –Meu padrasto chegou, e já não é novidade, ele está bêbado–.

 

—Ó meu Deus! O que está acontecendo?!?

—Cala boca vagabunda!

—Mais uma vez você bebeu! Já estou cansada! Arrume suas coisas e vá embora! Imprestável! Só trabalha para poder sustentar o seu vício, não paga nenhuma conta! Seu desgraçado vá embo…

—Eu já mandei você calar a boca vagabunda! –Ele dá um tapa na cara da minha mãe–.

 

Depois daquela confusão não me controlei, comecei a chorar. Peguei minha lâmina e fui me cortar. Já nem dói mais.

De repente meu padrasto abre a porta e começa a me xingar. Comecei a ficar com raiva e joguei a lâmina nele, cortou o braço dele. Então ele entrou no quarto e começou a me agredir. Então quando estava saindo.

 

—Seu desgraçado!

—O que você disse?

—Não sou gravador para ficar repetindo.

—A é? – Ele entrou no quarto novamente e voltou a me bater–.

 

Ele voltou a me bater, só que dessa vez eu me defendi, não adiantou muito. Então ele foi embora.

 

Mais uma lembrança

 

Meu pai já estava perto de morrer, mas não ficava triste com isso, estava sempre brincando, feliz da vida.

De repente meu pai começa a pular em círculo e gritar.

 

—Pai, o que você está fazendo? Haha!!

—Índio estra fazendo dança da chuva!

—Índio ir para dentro, pra comer!

—Ei! Venham para dentro!

 

Fomos para dentro e continuamos a fazer graça.

 

Meu fim

 

Mesmo lembrando disso, quero morrer. Penso em várias formas de me matar, todas as formas são muito sofridas. Não quero sofrer muito. Lembro que uma conhecida da minha mãe morreu, pois tinha tomado várias capsulas de remédio de uma vez.

Então pego um frasco de remédio(capsulas), coloco todas em minha mãe e tomo. Deito para dormir, assim quando “acordar” já estarei morta, e irei me encontrar com meu pai.

 

 


Categorias: Agenda |

1 Comment»

  • Anonimo says:

    tb sou um suicida crônico, temos fases de um “estado crítico de espírito, da febre e o delírio que a vida nos impõem com o dedo na cara berrando: vê se aguenta!!! A loucura tem um certo limite até então, quando se está com uma arma carregada em suas têmporas pronto para se descarregar (jackjonhblack)
    ” Quem lamenta as suas perdas, olha para os seus próprios pés. E quem olha para os seus pés, acha que o mundo é do tamanho dos seus passos.”
    Augusto Cury
    Na religião espírita, o suicídio é uma das piores formas a se praticar, já que, iria o suicida ficar vagando eternamente no vale de lamentos, dores, correntes nos pés..etc..etc… esse pensamento, ora fantasiosos ou não, me salvou várias vezes… e decidir viver um dia de cada vez, como se diz, matar um leão a cada dia, vivo bem, mesmo com a depressão, medico diariamente, tento ler e ver coisas que me façam crescer, pratico caminhada, (te recomendo esporte) por causa da distração e a endorfina, enfim…
    “O suicida na verdade não quer se matar mas quer matar a sua dor”
    Augusto Cury
    Tem leis, como Maria da penha para esses casos, proteção de menor, desculpe não poder estender mais o texto, seria longo e demasiadamente cansativo talvez para vc, mas, dá se o tempo, vive um dia de cada vez, continue respirando, as coisas vão melhorar, sou prova viva disso, e desejo paz e saúde para vc, abraços.

RSS feed for comments on this post.


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério