O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

Publicado por esdras

– que publicou 2 textos no ONE.

>> Confira outros textos de esdras

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

Nov
12
2015

O Necromate

hecates-wheelEu corria o máximo que podia, por ruas pouco iluminadas, mas o monstro estava me alcançando. O desespero tomou conta de mim, eu não conseguia mais raciocinar. Então avisto uma casa com a porta aberta, entro o mais rápido que posso e tranco a porta. Então depois de alguns segundos, já recuperado, vejo um garoto de poucos anos sentado no chão e desenhando. Quado ele me vê, fala:
Ele está vido, me ajuda.
E eu pergunto:
Quem está vido?
E o garoto me mostra o desenho de um homem, sem camisa, e com uma terrível e enorme boca na barriga.
Com isso eu acordo. Estava molhado de suor e ofegante. Sabia que aquilo tinha algum significado. Então fui procurar nos meus livros o que poderia significar esse sonho. Mas não encontrei nada. Na internet também não achei ada que fodesse me ajudar. etão deitei e tetei dormir novamente. Quando ouvi uma voz que dizia:
Você está ficado cada vez mais burro! Seu pai já teria descoberto. E sem ajuda de livro.
Vai lá ressuscitar ele então.
Você mesmo poderia fazer isso, se não fosse tão incompetente.
Decidi não responder, e fiquei esperando alguma alguma coisa útil.
Não posso te dar respostas prontas, pense.
Depois de algum tempo pesado, concluí que se aquela coisa que me perseguido o sonho era o que eu estava procurando, etão ela ão era tão perigosa assim, pelo menos não ainda. Etão me preparei para fazer o ritual para tentar permitir que ele me achasse, talvez assim eu conseguisse descobrir com o que eu estava mexendo. Depois de quase uma hora de meditação, consegui entrar em contato. Era tudo muito confuso, me vi em um local escuro, ermo, e cheio vozes de pessoas pedindo ajuda. Então ouvi uma voz diferente das outras que dizia:
Não se mova, vou me alimentar de você.
Então senti uma fraqueza muito grande, e quase não consigo fugir. De volta a meu quarto, eu já sabia exatamente para ode ir e o que fazer. Peguei minha bolsa de trabalho e fui.
Nada melhor que invadir um cemitério para animar a minha noite… Agora eu tinha mais medo de encontrar um gótico esse lugar que a coisa que eu estava procurando, tenho vergonha alheia quando vejo esse povo.
Até que foi fácil, segui o cheiro nojento de incenso e a luz laranja das velas, e encontrei o que procurava. Ali, a uns vite ou trinta metros de mim, estava de costas um homem, de quase dois metros, de costas para mim e sem camisa. Ele tinha uma tatuagem enorme de strophalos nas costas. Parecia estar em profunda meditação. Então ele percebeu a minha presença. Senti minha mente ficar confusa. Então ele se vira para mim e fala:
Venha garoto, vou te mostrar uma coisa…
Comecei a andar na direção dele vagarosamente. Ele estava tetado me hipnotizar, pobre idiota, ainda não tinha percebido quem eu era. Chegando mais perto, pude ver os dentes costurados no abdome dele. Sem dúvidas era um necromante. Dei um sorriso sarcástico para ele, e ele falou:
Acha que pode comigo garoto? Eu já invocava espíritos muito ates de você nascer!
Então ele vedo que a magia dele não iria funcionar comigo, pegou um punhal de dentro do bolso da calça e veio para cima de mim. Peguei rapidamente minha arma de dentro da bolsa, que já tinha deixado aberta para facilitar as coisas. Um tiro bem entre os olhos, e eu já podia voltar para minha cama. Mas não antes de tomar um banho… Já podia até imaginar as manchetes no dia seguinte “homem morre em ritual de magia negra”.


Categorias: Agenda |

No Comments»

RSS feed for comments on this post.


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério