O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

Publicado por Emmaai2

– que publicou 1 textos no ONE.

Chata,marrenta,neurótica, sensível, chorona,bem dramática nerd,caseira.

>> Confira outros textos de Emmaai2

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

Feb
16
2016

THE STORY ONLY I DIDN’T KNOW

E sempre ocorria o mesmo naquele quarto que se encontrava no segundo andar do sanatório. Uma melancólica melodia ecoava nos corredores ,como se a tristeza de alguém estivesse entrando nos tímpanos dos residentes de lá em troca de um pouco de atenção.
Entre aquele cubículo alvo existia uma garota de longos fios negros,possuía esmeraldas nos olhos e ficava constantemente inerte em sua cama ,com os braços e as pernas esticados e atenta apenas ao objeto musical.
Durante as vinte e quatro horas do dia somente permanecia calada e deitada observando a bailarina de madeira que rodopiava diversas vezes,seguindo as notas do piano automático ,que com sua sonoridade hipnotizava a jovem moça.
Foi um presente de seu pai antes da morte prematura no dia do aniversário de cinquenta anos.Um fugaz ataque cardíaco furtou o sorriso dela e apenas o barulho das sirenes da ambulância soavam em sua mente.
Depois desse dia acontecia infortúnios direto,de modo que aos poucos ela perdia o dom da razão ,o cérebro se recusava a continuar trabalhando.Não poderia proceder naquelas condições medíocres,em que vivia como Cinderela ,só que sendo sua própria madrasta.
Ela se considerava culpada pelas tragédias que sofreu,tanto que o autocastigo era tão severo e desumano que às vezes suas mãos sangravam de tanto esfregar o chão e socar as paredes do lar.
Então ,a pobre desvairada jogou-se da janela do apartamento ,espatifando -se na calçada de sua rua,entretanto viva.
Por um milagre, quem sabe divino,escapou do fim fúnebre e um destino pior foi optado à ela,sendo rotulada como “louca”,” doida”,”suicida”,sem se quer ter o direito de revidar essas depreciações.
Resolveu ser a miserável, ser a mancha na sociedade ,a excluída da realidade.Agora ela parecia uma estátua ,imóvel no mesmo lugar ,não emitia mais nenhuma sílaba nos labios. Era uma boneca de carne,osso e resquícios de sentimentos.
A única coisa que a fazia respirar era a caixinha ,que mesmo após anos de uso,a alegrava com o mesmo efeito de antes,despertando a nostalgia dos tempos felizes onde tudo era multicolorido e não simplesmente preto e branco.


Categorias: Agenda |

No Comments»

RSS feed for comments on this post.


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério