O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

Publicado por isabella

– que publicou 1 textos no ONE.

prazer, eu sou a Mikasa. Esse não é meu nome é só um pseudônimo (bem fodão, diga-se de passagem). Eu quero ser escritora e estou lutando por isso: eu já escrevo. O que eu curto? Música (de preferencia um barulho doido, tipo slipknot), ler (sem autores preferidos no momento, mas tem aquela fodona, a J.K Rowling) e escrever né… Sedentaria, alienada politicamente, mas uma cidadã com ética. rnrnta ai um breve resumo sobre mim

>> Confira outros textos de isabella

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

Mar
11
2016

visitante noturno

Era uma noite fria, meus pais estavam na casa da minha vó e eu estava sozinha em casa. Eu nunca tive medo de ficar sozinha, sempre gostei de ficar sozinha, me sentia bem. Todas as noites eu tomava banho, colocava uma roupa quente e ficava assistindo tv até de madrugada, mas essa noite tinha algo estranho, era como se a casa ficasse mais gelada que normal e eu me sentia como se tivesse alguém comigo.

convencida de que era coisa da minha cabeça, fui pra cozinha e comecei a fazer pipoca ja que não tinha jantado e não estava nem um pouco a fim de fazer comida. Deixei a pipoca estourando e me sentei na mesa mexendo no celular, a pipoca continuava estourando freneticamente quando recebi uma mensagem de um numero desconhecido dizendo que a pipoca estava queimando, assustada, olhei para o fogão e senti o cheiro de queimado invadir minhas narinas, corri e desliguei o fogo.

completamente atordoada, olhei em volta mesmo sabendo que se tivesse alguém ali eu não iria enxergar. Fui conferir a mensagem e vi que não tinha nada la, nenhuma mensagem. Deixei a pipoca na panela mesmo e corri para meu quarto, tranquei ele logo em seguida e fiquei na cama com o coração acelerado, torcendo e chamando o sono que não vinha de jeito nenhum, lembrei que uma vez minha mãe falou que quando não consegue dormir, você tem que fechar os olhos e acalmar o coração, relaxando completamente.

me esforcei o máximo para conseguir relaxar mas não conseguia de jeito nenhum. Fiquei deitada, tremendo, torcendo para que o sono viesse logo. Foi quando ouvi o barulho do meu celular apitando, peguei ele com receio e abri a mensagem de outro numero desconhecido, estava escrito “sua mãe não vai ficar feliz em ver essa sujeira aqui na cozinha”, imediatamente paralisei, como se estivesse cobrida de concreto solido, não conseguia mexer nada do meu corpo, e sabia que era o medo que estava fazendo isso. Me convenci de que essas mensagens eram coisa da minha cabeça.

fiquei a noite toda assim, meu celular apitava freneticamente mas eu me recusava a abrir as mensagens, certa de que era coisa da minha cabeça.

por volta das 8 da manha meus pais chegaram e eu fui correndo falar com eles, contei o que havia acontecido e eles simplesmente me ignoraram dizendo que era medo de estar sozinha e que a mente causou tudo. Foi quando lembrei das mensagens e corri pegar o celular, quando abri, só havia uma unica mensagem assim

“Que pena que a gente não se conheceu essa noite. Mas fique tranquila, essa noite eu volto. E nem a porta trancada ira impedir o nosso encontro”

 


Categorias: Agenda |

3 Comments»

RSS feed for comments on this post.


Leave a Reply

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério