O Nerd Escritor
Feed RSS do ONE

Feed RSS do ONE

Assine o feed e acompanhe o ONE.

Nerds Escritores

Nerds Escritores

Confira quem publica no ONE.

Quer publicar?

Quer publicar?

Você escreve e não sabe o que fazer? Publique aqui!

Fale com ONE

Fale com ONE

Quer falar algo? Dar dicas e tirar dúvidas, aqui é o lugar.

To Do - ONE

To Do - ONE

Espaço aberto para sugestão de melhorias no ONE.

Blog do Guns

Blog do Guns

Meus textos não totalmente literários, pra vocês. :)

Prompt de Escritor

Prompt de Escritor

Textos e idéias para sua criatividade.

Críticas e Resenhas

Críticas e Resenhas

Opinião sobre alguns livros.

Sem Assunto

Sem Assunto

Não sabemos muito bem o que fazer com estes artigos.

Fórum

Fórum

Ta bom, isso não é bem um fórum. :P

Projeto Conto em Conjunto

Projeto Conto em Conjunto

Contos em Conjunto em desenvolvimento!

Fan Page - O Nerd Escritor

Página do ONE no Facebook.

Confere e manda um Like!

@onerdescritor

@onerdescritor

Siga o Twitter do ONE!

Agenda

Agenda

Confira os contos e poemas à serem publicados.

Login

Login

Acesse a área de publicação através deste link.

conto da noiteO Conto da Noite
Rituais
As pessoas trabalhavam felizes em meio aos limoeiros. Homens e mulheres contentes colhiam os frutos que surgiam abundantemente naquele lugar.

Em meio ao tumulto, um casal arrumava tempo para brincar.


Publicado por Evandro Furtado

– que publicou 95 textos no ONE.

Ocupações: Estudante de Letras (sim, isto é ocupação) e escritor amador em tempo vago.

Base de operações: Lavras/MG (por mais que eu duvide que esteja realmente aqui, às vezes).

Interesses: Cinema, música, literatura, professional wrestling e uma boa pizza se for possível.

Autores Influentes: Stephen King, Dan Brown, Agatha Christie, Paulo Coelho, Tolkien.

Objetivos: Parafraseando o Coringa de Heath Ledger: “I just do things!”

>> Confira outros textos de Evandro Furtado

>> Contate o autor

* Se você é o autor deste texto, mas não é você quem aparece aqui...
>> Fale com ONE <<

0

Sobre o primeiro livro que lí, exemplos na vida e meu pai

julio-verne-volta-ao-mundo-80-diasA Volta ao Mundo em Oitenta Dias. Esse não foi o primeiro livro que li. Mas foi um dos responsáveis que me levou a ele.

Deveria ter em torno de 9 anos de idade.

Eu lembro muito bem, estar sentado no chão da sala de casa, com um mapa mundi aberto. Na tv passava A Volta ao Mundo em 80 Dias. Eu acompanhava pelo mapa a aventura e viajava por todo lado junto com o filme. Nisso meu pai chegou e me viu no chão, mapa aberto, olhou para a tv e perguntou o que eu estava fazendo. Eu expliquei. Então ele falou a frase que mudou minha vida: “Ah! Volta ao Mundo em 80 Dias do Júlio Verne. Já li esse livro.”

Como assim já leu esse livro? Não existia na minha concepção de criança que filmes eram feitos de livros. E a auto-pergunta surgiu: “Quer dizer que existem mais historias como essas por ai?”

No dia seguinte estava vasculhando as prateleiras da biblioteca da escola. Encontrei Júlio VerneViagem ao Centro da Terra“. Meu primeiro livro. 🙂

Nas semanas seguintes fiz meu cadastro na biblioteca pública.

Muitro livros vieram desde então.

15 anos depois criei um site chamado O Nerd Escritor.

Agora. Tudo isso começou com um comentário feito por meu pai. Dias atrás resolvi contar essa historia pra ele. Acho justo ele saber da parcela de culpa que tem nisso. Pois ele é o maior frequentador da biblioteca que tenho hoje.

Quantas pessoas inspiramos sem saber? Quantos exemplos na vida de outros nos tornamos?

Publicado por The Gunslinger em: Blog do Guns | Tags: , , , , ,
14

Últimas memórias

ultimas-memorias

Capítulo I

A cadeira rangia, era velha, extremamente desconfortável, um tormento para quem lá se sentasse, mas era mais apropriado que o chão frio e empoeirado. No maldito assento inadequado Daniel se firmou, fingido não sentir o incômodo que o móvel lhe causava.

Era o segundo dia de isolamento na fazenda onde passaria um tempo enclausurado. O retiro foi sua tentativa de criar seu cemitério de elefantes particular. Estando com o câncer no pulmão em estágio avançado, buscou o ambiente campestre para passar seus últimos dias, não avisando ninguém, simplesmente pegara o carro e partira para a antiga casa de campo da família.

(more…)

Publicado por [email protected] em: Contos | Tags:
5

Doce noite

Fazia frio naquela noite, deviam ser duas horas da madrugada, e eu havia resolvido sair um pouco e caminhar pra pensar ouvindo minhas músicas e levei um livro junto, caso achasse um lugar silencioso. Meus amigos estavam em uma festa, me convidaram, mas preferi não ir, enquanto caminhava pela rua, ao meu redor vi grupinhos antigos de escola, todos rindo, bebendo e ouvindo música alta, atravessei a rua e segui até encontrar um banco e ali me sentei. Era bastante escuro para ler e o melhor era distrair meus pensamentos, porém em questão de segundos lembrei dele novamente, depois de meses, foi pisar na cidade de novo e lembrar. O barulho das folhas sendo arrastadas pelo vento soava alto ali, e mais ninguém passava por essa ruazinha depois que uma das mais famosas lanchonetes da cidade mudou de lugar há alguns anos atrás, estava quase deserta.
Respirei fundo,me deixando ser invadida pela serenidade da noite e passei a admirar o céu, as inúmeras estrelas pareciam formar uma pintura de beleza surreal. Fiquei um tempo assim parada, quando passos quebraram o silêncio todo.
– Oi. ‘Era ele, o cabelo despenteado, a cara mais meiga, e aquele sorriso desajeitado. Meu coração disparou instantaneamente.’
– Oi. Respondi. ‘Minha voz fraquejou e deixei uma lágrima discreta cair. Como ele veio parar aqui? Eu pensei.’
– Eu sei, você não queria me ver, mas eu precisava, sabe, procurei por você na festa e seus amigos disseram que você não quis sair, achei que estivesse aqui, quieta, e ainda bem, acertei.
– Você me conhece. ‘Respondi, áspera.’
– Eu entendo, entendo você ter ido embora sem me dizer adeus, eu entendo que tenha me pedido ficar longe, eu entendo que tenha doído muito pra você. Eu nunca te mereci, eu sei que errei, mas tudo isso doeu muito mais em mim do quem em você. Eu nunca quis te ver chorar.

Eu nunca o perdoaria, mas sempre admirei o jeito espontâneo dele ser, de fazer aquilo que da vontade, aquilo que vem na cabeça, e ele sempre foi assim. E foi por isso que eu me apaixonei, eu sei, também tenho parte de culpa. Mas desde o começo, o sorriso dele me encantou, o carinho dele, as palavras, o jeito como mexia no cabelo, a cara safada e meiga ao mesmo tempo, a maneira que me olhava.
– Nunca quis? Mas me fez chorar, me fez sofrer, eu confiei em você como nunca havia confiado em ninguém, acreditei nas tuas palavras nas tuas promessas, me diz, assim… ‘Segurei o choro, respirei fundo e continuei quase que gaguejando’ …Só por curiosidade, o que você viu nela?
– Nada, eu não pensei em nada. Você sabe, eu sempre fui impulsivo, mas nunca vou me perdoar, eu nunca poderia ter feito isso com você. Eu te amo… ‘Ele me puxou pra perto e escorou minha cabeça em seu peito’ -…E jamais amarei outra.

Estar com ele era tudo que eu queria, mas eu confiei tudo nele, dei tudo de mim e não podia pensar na ideia de passar pelo mesmo sofrimento novamente. Eu podia ouvir o coração dele batendo, e com o meu quase pulando pela boca, respondi:
– Eu sempre te amei, sempre acreditei no teu melhor, fiz tantos planos pra nós, mas você é assim, e por mais que doa, acho que ser infiel é da tua natureza.
Por um momento ele não respondeu, apenas chorou, enquanto mexia nos meus cabelos. Até que baixinho ele disse:
– Eu poderia dizer mil coisas, poderia te fazer mil promessas, e eu iria cumprir. Eu sei, preciso de você, e você é tudo pra mim, a mulher da minha vida. Mas eu te conheço melhor do que ninguém, e você nunca me perdoaria, eu sei que não tenho chances, que não vai acreditar nas minhas palavras. Mas estar aqui com você agora, é bastante pra mim. ‘Ele ergueu meu rosto, beijou minha testa e terminou: – Você merece alguém melhor.

Ele passou seus braços ao meu redor e me segurou forte. Eu me sentia segura e confortável e ali ficamos por horas. Mil imagens passavam pela minha cabeça, e meu futuro eu via com ele. Não conseguíamos conter as lágrimas e sem querer, saiu da minha boca, mesmo que eu não quisesse:
– Eu não quero mais ninguém, se não for você!

1

Criador do WikiLeaks publicará suas memórias, diz jornal

liberdade-terrorismo

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, vendeu suas memórias a duas editoras e deve ter um manuscrito pronto em março, informou o jornal britânico The Guardian nesta terça-feira.

O jornal, um dos quais o WikiLeaks forneceu trechos de seu material secreto, disse que Assange teria vendido suas memórias à editora britânica Canongate e à norte-americana Knopf.” [via Yahoo! News]

Ta aí um assunto bem polêmico, WikiLeaks. É a liberdade de expressão lutando contra a ética de uma super potência, misturado a crimes de estado e um abuso sexual qu evai saber se realmente existiu.

Com certeza é um assunto que vai passar nas retrospectivas 2010 da Globo. ;-D

Saibam mais sobre o livro do Assange, através do link do Yahoo! News. 🙂

Publicado por The Gunslinger em: Notícias | Tags: , , , ,

Powered by WordPress. © 2009-2014 J. G. Valério